[Sylvio Micelli]

Corinthians e Bragantino: ‘bora sofrer, e vencer, e ser líder. Tudo de novo? 1

Corinthians e Bragantino: ‘bora sofrer, e vencer, e ser líder. Tudo de novo?


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Neste domingo, pela quinta rodada, o Sport Club Corinthians Paulista volta a campo no “nosso” Pacaembu e defende a liderança isolada do Campeonato Paulista 2012 diante de um adversário sempre complicado: o Clube Atlético Bragantino.

É bem provável que o Corinthians faça o que tem feito de melhor, desde o início do campeonato. Faz um golzinho, dois no máximo, segura a posse de bola, dá pouca ou nenhuma emoção e garante os três pontos. Apesar da sonolência, principalmente no segundo tempo das partidas, a fórmula tem dado certo e é bem provável que Tite mantenha a mesma “linha” para o jogo contra a equipe de Bragança Paulista.

Segundo o site Globo Esporte, Tite fará quatro alterações, seguindo orientação do Departamento Médico, que pretende revezar alguns atletas. Para a disputa deste domingo, o treinador corinthiano deverá sacar o lateral-esquerdo Fábio Santos, os meias Alex e Danilo e o centroavante Élton. Nossos guerreiros devem ser: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castan e Ramon; Ralf, Paulinho, Luís Ramirez; Gilsinho, Liédson e Jorge Henrique.

O Bragantino vem, por enquanto, com uma campanha fraca tendo vencido uma partida, empatado outra e sendo derrotado por duas vezes. As apostas da equipe treinada pelo experiente técnico Marcelo Veiga são a velocidade de Romarinho e a pontaria de Giancarlo, artilheiro da equipe até aqui com três gols.


A história

Em 45 anos de confronto, Corinthians e Bragantino já jogaram 40 vezes. O retrospecto é favorável ao Timão que venceu 19 vezes e sofreu apenas seis derrotas. Há, porém, muitos empates. São 15 no total. O alvinegro mais querido marcou 67 gols e sofreu 35.

Tudo começou em 10 de setembro de 1966, no Parque São Jorge, em jogo válido pelo Campeonato Paulista daquele ano. O Timão venceu por 3 a 0, com dois gols do atacante Marcos e outro da lenda Roberto Rivellino.

Pelo Paulistão de 2011 houve um empate no estádio Marcelo Stéfani, agora equivocadamente renomeado para Nabi Abi Chedid. O jogo terminou em 1 a 1 com o “baixinho” Jorge Henrique fazendo o gol corinthiano de cabeça após o Bragantino ter aberto o placar com um gol contra de Chicão.


O estádio

O Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, mais conhecido por Estádio do Pacaembu, pertence à prefeitura de São Paulo. É considerada “a casa” do Corinthians que joga com maior frequência no local.

O Timão jamais foi derrotado no Pacaembu pela equipe de Bragança Paulista. Em 12 jogos foram oito vitórias e quatro empates. O Corinthians fez 30 gols e sofreu 12. Que a escrita seja mantida amanhã!

A mais recente partida do Corinthians no Pacaembu foi em 29 de janeiro passado na terceira rodada do Campeonato Paulista de 2012. O Timão venceu o Linense por 1 a 0 com um golaço de Emerson.


Ficha Técnica – Jogo 7/2012

SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA X CLUBE ATLÉTICO BRAGANTINO

Competição: Campeonato Paulista 2012 – Série A
Rodada: 5ª
Local: Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho [Estádio do Pacaembu], São Paulo (SP)
Data: 5 de fevereiro de 2012

Árbitro: Leonardo Ferreira Lima (SP)
Assistentes: Fabio Luiz Freire e Maíza Teles Paiva (ambos de SP)

CORINTHIANS: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castan e Ramon; Ralf, Paulinho, Luís Ramirez; Gilsinho, Liédson e Jorge Henrique
Técnico: Tite

BRAGANTINO: Alê; Victor Ferraz, André Astorga, Luiz Henrique e Murilo Ceará; Cambará, Serginho, Fernando Gabriel e Romarinho; Léo Jaime e Giancarlo
Técnico: Marcelo Veiga

Já curtiu o Blog Canelada no Facebook? Vem cá!

Já leu outros textos do Jornalista Sylvio Micelli? Vem cá!

E de gol em gol, Timão lidera o Paulistão 0

E de gol em gol, Timão lidera o Paulistão


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada


Ouça o gol da partida com a narração de Paulo Massini da Rádio CBN

Ituano 0 X 1 Corinthians – Paulinho

Paulistão 2012 – Ituano 0x1 Corinthians – Paulinho – Rádio CBN by AudioCorinthians


Lead

Mesmo jogando um futebol apenas regular, o Sport Club Corinthians Paulista chegou à sua quarta vitória no Campeonato Paulista 2012. Desta vez, jogando contra o Ituano Futebol Clube, o Timão venceu pelo placar mínimo, com um golaço de voleio do Paulinho. São quatro vitórias em quatro jogos e o clube lidera o Campeonato Paulista, já na quarta rodada, graças ao empate do São Paulo diante do Guarani.


O jogo

O adversário, jogando em casa, começou na pressão e correria, além de marcar a saída de bola do Corinthians. Aos 18 minutos Kleiton Domingues apareceu sozinho na área e mandou um bomba para boa defesa de Julio Cesar que, por sinal, foi um dos destaques do jogo.

Sem o ataque titular, pois Liédson e Emerson foram poupados, o Corinthians apostou em Élton e Gilsinho e foi dos pés do segundo que saiu o gol corinthiano. Ele cruzou da direita e o volante Paulinho emendou um belo voleio para marcar o gol corinthiano.

As investidas do time pela esquerda também foram boas com Fábio Santos, mas Elton finalizou mal as duas chances que teve, uma incrível, já na pequena área, no final do jogo.

O goleiro do Corinthians fez duas ótimas defesas na metade do segundo tempo numa cabeçada a queima-roupa de Jefferson Luiz e num chute de Gustavo e garantiu os três pontos e os 100% de aproveitamento da equipe.

Tecnicamente foi um jogo sofrível. A equipe de Itu é frágil, em que pese a correria. O Corinthians fez seu gol e depois, literalmente, cozinhou o “galo” (apelido do time de Itú) até o final da partida.

Mesmo sendo início de temporada, algo me preocupa, aliás, desde o ano passado é o fato do Corinthians chutar pouco e finalizar mal. Não vejo problemas com a equipe na defesa, que já é a melhor da competição tendo sofrido apenas um gol, nem no meio de campo. Falta, porém, consistência ao ataque. Tanto que apenas um terço dos gols da equipe, até aqui, foram marcados pelos atacantes corinthianos e aí, realmente, as coisas ficam complicadas.

O Timão volta a campo na próxima rodada, no eterno Pacaembu, para enfrentar o Bragantino.


Ficha Técnica

Na história:
26 jogos – 18 vitórias do Corinthians X 3 vitórias do Ituano e 5 empates
Corinthians: 49 gols X Ituano: 20 gols

Jogo 06/2012 – 4 V – 1 E – 1 D – 8 GF – 4 GC – SG 4
Artilheiros: Alessandro, Alex, Chicão, Élton, Emerson, Liédson e Paulinho (1 gol cada)
Gol contra: Dezinho (Mirassol)

No Paulistão 2012 – 4 V – 0 E – 0 D – 6 GF – 1 GC – SG 5 – 1º lugar – 12 pontos
Artilheiros: Alessandro, Chicão, Élton, Emerson e Paulinho (1 gol cada)
Gol contra: Dezinho (Mirassol)


ITUANO FUTEBOL CLUBE 0 X 1 SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA

Competição: Campeonato Paulista 2012 – Série A
Rodada: 4ª
Local: Estádio Municipal Doutor Novelli Júnior, Itu (SP)
Data: 1 de fevereiro de 2012

Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Mauro André de Freitas (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Vinicius Gonçalves Dias Araujo e Welton Orlando Wohnrath (ambos de SP)

Público: 11.269 torcedores
Renda: R$ 373.290,00
Cartões amarelos: Vitor Júnior [C]; Chapinha e Kleyton Domingues [I]

Gol: Paulinho [C] (32′)

[Notas do Micelli]

ITUANO: Roberto [6]; Anderson Salles [6], Thiago Gomes [6], Victor Hugo [6] e Gustavo [7]; Alan Mota [6], Chapinha [5] (Jefferson Luis [6]), Rodrigo Costa [6] (Escobar [S/N]) e Kleyton Domingues [7]; Evando [6] e Alan [7] (Hugo [S/N])
Técnico: Ruy Scarpino
[6]

CORINTHIANS: Júlio César [8]; Alessandro [6], Chicão [6], Leandro Castan [6] e Fábio Santos [7]; Ralf [6], Paulinho [7], Danilo [6] (Edenílson [S/N]) e Alex [6] (Luís Ramirez [S/N]); Élton [6] e Gilsinho [7] (Vitor Júnior [S/N])
Técnico: Tite [6]

Ficha Técnica by Gazeta Esportiva.Net


PRÓXIMA PARTIDA:

CORINTHIANS X BRAGANTINO – PAULISTÃO 2012
DOMINGO – 5 DE FEVEREIRO DE 2012 – ESTÁDIO DO PACAEMBU, SÃO PAULO

Já curtiu o Blog Canelada no Facebook? Vem cá!

Já leu outros textos do Jornalista Sylvio Micelli? Vem cá!

Douglas e Corinthians: o bom filho a casa torna 0

Douglas e Corinthians: o bom filho a casa torna


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

O meia Douglas Santos, o velho e bom “maestro” Douglas, está bem próximo do retorno ao Sport Club Corinthians Paulista. O anúncio, feito na noite desta quinta (2) de forma oficial, finaliza a negociação e realiza um velho desejo de Tite. O técnico corinthiano queria ter o meia no início do Brasileirão do ano passado, mas o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense não quis conversar sobre o assunto.

Agora, segundo Nota Oficial no site do Corinthians, o atleta está apalavrado com o clube e virá para São Paulo na próxima semana para realizar os exames médicos de praxe. O gerente de futebol Edu Gaspar, no entanto, deu o retorno como certo em programa veiculado pela TV Corinthians.


O retorno do “Maestro”

Douglas, prestes a completar 30 anos, tem passagens pelo Criciúma/SC (2002/5 e 2006), Caykur Rizespor/TUR (2005), São Caetano/SP (2006/8), Corinthians (2008/9), Al Wasl/EAU (2009) e Grêmio/RS (2010/1). Foi no Corinthians, porém, que o atleta ganhou projeção nacional e seus principais títulos (Brasileirão – B/2008, Copa do Brasil – 2009 e Paulistão – 2009).

Dono da camisa 10 e de uma raça e técnica invejáveis, Douglas logo caiu nas graças da Fiel Torcida. Foi um dos principais atletas do clube no retorno à Série A e também brilhou na campanha invicta do Paulistão e na Copa do Brasil.

Particularmente, como já pude escrever aqui, acho-o um jogador de ótimo nível, superior ao Montillo (Cruzeiro) e que tem empatia com a torcida. Cai como uma luva para a disputa da Libertadores.

Então, Fiel, se tudo der certo (e dará), vai sonhando com o time: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, Leandro Castan e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Douglas (olha o nível do meio de campo…) e Liédson e Émerson no ataque…

Quem viver, verá…

E seja bem-vindo, Douglas! O bom filho a casa torna!

Já curtiu o Blog Canelada no Facebook? Vem cá!

Já leu outros textos do Jornalista Sylvio Micelli? Vem cá!

Golaço de Emerson salva Corinthians em jogo ruim 0

Golaço de Emerson salva Corinthians em jogo ruim


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada


Ouça o gol da partida com a narração de José Silvério e reportagens de Alexandre Praetzel da Rádio Bandeirantes

Corinthians 1 X 0 Linense – Emerson

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


Ouça o gol da partida com a narração de Rogério Assis, reportagens de Márcio Spímpolo e comentários de Flávio Prado da Rádio Jovem Pan

Corinthians 1 X 0 Linense – Emerson

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


Lead

Pela terceira rodada do Campeonato Paulista 2012, o Sport Club Corinthians Paulista venceu o Clube Atlético Linense com um golaço de Emerson na etapa final. O Timão não jogou bem, mas a vitória manteve os 100% de aproveitamento nas três primeiras partidas. Agora, apenas Corinthians e São Paulo venceram todos os seus jogos no Paulistão.


O jogo

Em casa, diante da torcida, o Corinthians impôs seu jogo desde o início. Logo no começo da partida, houve uma falta penal em Alex, não marcada pelo juiz. Logo em seguida, Emerson bateu com perigo para fora e mostrou que o jogo em linha da defesa do Linense não funcionava.

Apesar do início promissor, o Corinthians ficou preso à forte marcação da equipe do Interior, que tentava contra-ataque rápido, principalmente com Diego Macedo.

Ainda na primeira etapa, o Linense teve um gol anulado pela arbitragem. Após cobrança de escanteio por Éder, o zagueiro Fabão se apoiou em Danilo. A bola entrou, mas o juiz anulou a jogada.

O cenário do segundo tempo pouco foi alterado. O Timão detinha as melhores jogadas e a posse de bola, mas esbarrava no bom goleiro Douglas e faltava a ligação do meio com o ataque.

Quase no final da partida, Alex fez boa jogada pela esquerda, o goleiro Douglas espalmou para o lado, mas encontrou Emerson Sheik que, de primeira, mandou uma bomba. Um golaço que valeu a vitória corinthiana e garantiu os três pontos na competição.

No geral, o jogo foi fraco tecnicamente. O Corinthians mostrou falhas na ligação do meio com o ataque e Liédson, mais uma vez, sentiu a contusão que o acompanha desde o ano passado. O time só melhorou quando Jorge Henrique entrou no lugar do Danilo dando mais velocidade ao ataque.


Ficha Técnica

Na história:
12 jogos – 9 vitórias do Corinthians X 2 vitórias do Linense e 1 empate
Corinthians: 25 gols X Linense: 13 gols

Jogo 05/2012 – 3 V – 1 E – 1 D – 7 GF – 4 GC – SG 3
Artilheiros: Alessandro, Alex, Chicão, Élton, Emerson e Liédson (1 gol cada)
Gol contra: Dezinho (Mirassol)

No Paulistão 2012 – 3 V – 0 E – 0 D – 5 GF – 1 GC – SG 4 – 2º lugar – 9 pontos
Artilheiros: Alessandro, Chicão, Élton e Emerson (1 gol cada)
Gol contra: Dezinho (Mirassol)


SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA 1 X 0 CLUBE ATLÉTICO LINENSE

Competição: Campeonato Paulista 2012 – Série A
Rodada: 3ª
Local: Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho [Estádio do Pacaembu], São Paulo (SP)
Data: 29 de janeiro de 2012

Árbitro: Marcelo Rogério (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Assistentes adicionais: Camilo Morais Zarpelão e Adriano de Assis Miranda (ambos de SP)

Público: 16.510 torcedores
Renda: R$ 461.185,50
Cartões amarelos: Élton e Jorge Henrique [C]; Anderson, Diego Macedo, Bruno Quadros e Fabão [L]

Gol: Emerson [C] (79′)

[Notas do Micelli]

CORINTHIANS: Júlio César [6]; Alessandro [6], Chicão [6], Leandro Castan [7] e Fábio Santos [5]; Ralf [6], Paulinho [6], Danilo [6] (Jorge Henrique [7]) e Alex [8]; Emerson [7] (Vitor Júnior [S/N]) e Liédson [5] (Élton [S/N])
Técnico: Tite [6]

LINENSE: Douglas [7]; Anderson [6], Fabão [7] e Bruno Quadros [6]; Diego Macedo [7], Elias [6], Makelelê [6], Éder [7] e Alexandre Silva [6] (Bruno Farias [S/N]); Chimba [5] (Neto [S/N]) e Lenilson [6] (João Henrique [S/N])
Técnico: Pintado [6]

Ficha Técnica by Gazeta Esportiva.Net


PRÓXIMA PARTIDA:

ITUANO X CORINTHIANS – PAULISTÃO 2012
QUARTA – 1 DE FEVEREIRO DE 2012 – ESTÁDIO NOVELLI JÚNIOR, ITU

Já curtiu o Blog Canelada no Facebook? Vem cá!

Já leu outros textos do Jornalista Sylvio Micelli? Vem cá!

O legalismo do ministro Marco Aurélio Mello e o anseio popular de Justiça… na casa da Justiça 2

O legalismo do ministro Marco Aurélio Mello e o anseio popular de Justiça… na casa da Justiça

por Sylvio Micelli / ASSETJ

Servidor e militante do Judiciário há mais de duas décadas vi, como dever de ofício, a entrevista que o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, deu ao tradicional Roda Viva da TV Cultura. Iniciei este artigo logo após a programa, três semanas atrás, mas concluo apenas agora por ter aguardado, propositadamente, o retorno dos trabalhos no Judiciário quando, certamente, as discussões sobre os poderes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) voltarão ao centro das atenções.

Todos sabemos, de forma ampla e inexorável, que foi Marco Aurélio foi quem deu início ao processo de esvaziamento das funções do CNJ ao conceder, às vésperas do Natal, liminar determinando que a apreciação da conduta de juízes não pode começar no Conselho, mas nas corregedorias estaduais. A partir daí, as notícias – todas desastrosas sobre o Judiciário – começaram a circular dia sim, outro também. São tantas e irritantes informações que nem mesmo parece que estamos num novo ano. Ou, talvez, 2012 serviu apenas para trocar a folhinha pendurada na parede.

Marco Aurélio, em pouco mais de 90 minutos de entrevista, tentou justificar sua atitude injustificável, apegando-se à Carta Maior do Brasil. Alegou, ainda que não de forma convincente, acreditar que o trabalho do CNJ pode ser importante, mas que o órgão não pode ser mais que a Constituição do País. Por diversas vezes ironizou o trabalho da corregedora Eliana Calmon chegando a indicar, cinicamente, que “quem sabe ela não venha a substituir o STF também?”, ou que o CNJ estaria ungido pela sociedade diante de tantas revelações.

O ministro é conhecido pelos seus próprios pares como o rei do voto vencido e, sob a ótica da opinião pública, ele também está com o voto vencido.


O legalismo constitucional

Ao pregar a Constituição Federal como o bálsamo para a cura de todos os males e para justificar uma medida desnecessária, às vésperas do recesso do Judiciário, o ministro Marco Aurélio cometeu um pecadilho que, de fato, nem é de sua responsabilidade. Os governantes de plantão e em quaisquer esferas, sempre avocam o mandamento constitucional quando lhes beneficia. Mas a Carta Magna do Brasil vive sendo descumprida, quando convém ao poder público. Só em nossa lida diária, posso destacar o constante descumprimento do Artigo 37, X que trata da revisão salarial anual do funcionalismo, ou o Artigo 40, VIII que versa sobre a paridade entre servidores da ativa, aposentados e pensionistas.

Há, ainda, na Constituição do Brasil artigos, digamos, poéticos e que todos sabemos que o cumprimento não logra êxito em sua plenitude. Peguemos por exemplo o Artigo 6º da nossa Carta que preconiza “são direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição”. Fica difícil imaginar ter “tuuuuuuudo” isso, com um salário mínimo de R$ 622. E, reconheçamos, que a situação já foi pior, em tempos não tão passados.

E aí, o ministro Marco Aurélio vem se apegar à Constituição para defender interesses corporativos? Soa hilário para não dizer patético! Todos sabemos, com raríssimas exceções, que as corregedorias pouco fazem em relação à conduta de seus magistrados. E todos sabemos também que eles não estão acima da lei, apesar da postura arrogante que a grande maioria dos juízes e desembargadores adota.

O que o CNJ põe em praça pública agora, faz parte de um acervo de documentos que diversos representantes das entidades do Judiciário paulista fizemos chegar às mãos do então Corregedor, ministro Gilson Dipp, no final de novembro de 2009. Tudo que está aí escancarado, como uma chaga aberta, já era de nossa ciência e a corregedoria estadual, à época, nada fez.


O CNJ e a corregedora Eliana Calmon

Eu não nasci ontem e também não acho que a ministra Eliana Calmon seja a salvadora da Pátria. É possível que surjam convites para que ela venha a se candidatar a algum cargo eleitoral, como dizem parte de seus detratores, mas isso faz parte do jogo político. E se ela se eleger a algo no futuro, não desmerece seu trabalho hoje, de corregedora.

A verdade é que ela está balançando o coqueiro. Está mexendo em coisas que o mais obscuro, antiquado e empedernido poder da res publica (lembram-se, coisa pública), permanecia a esconder.

E ela não comete nenhum pecado. Só está fazendo seu trabalho como, aliás, ministro Marco Aurélio, está lá na Constituição Federal que Vossa Excelência diz defender e ser o guardião como é a função nobre do Supremo Tribunal Federal. No Artigo 103-B, § 5º, instituído pela Emenda Constitucional nº 45 [“Reforma” do Judiciário] compete à corregedora: “I – receber as reclamações e denúncias, de qualquer interessado, relativas aos magistrados e aos serviços judiciários; II – exercer funções executivas do Conselho, de inspeção e de correição geral; III – requisitar e designar magistrados, delegando-lhes atribuições, e requisitar servidores de juízos ou tribunais, inclusive nos Estados, Distrito Federal e Territórios”.

No que Eliana Calmon, ou o CNJ, ou qualquer coisa está infringindo o tal do “preceito” constitucional?


“Bandidos de Toga” e outros bichos

Em setembro do ano passado, Eliana Calmon “chocou” os seus pares ao afirmar que existiam “bandidos de toga”. As entidades da magistratura saíram gritando e esperneando, alegando que ela generalizou. Trata-se de uma grande bobagem, pois há bons e maus profissionais, em qualquer área do conhecimento humano. Por que haveria de ser diferente com os magistrados?

As notícias que brotam nos jornais, desde meados de dezembro, são tristes e fazem Themis enlouquecer, principalmente sobre o Judiciário Paulista. Por sinal, devemos lembrar que, quando o desembargador Antonio Carlos Viana Santos, presidente do TJ/SP faleceu há um ano, naquela época pipocaram algumas informações e suspeitas que acabaram, ao menos em tese, caindo no esquecimento. Mal sabíamos que o porvir em termos de informação, desde a morte de Viana Santos, seria muito pior.


O que aguardar de todo esse imbróglio

Reitero que não nasci ontem e não acredito, por mais que eu me esforce, que alguém será efetivamente punido. Há alguns dias escrevi um outro artigo questionando se os magistrados seriam punidos, mas não tenho essa ilusão. Poderá, muito eventualmente, acontecer alguma “aposentadoria compulsória” e com integralidade de vencimentos, que é, absurdamente, a maior punição e a poucos magistrados, de que se tem notícia. Mas o Judiciário e suas excelências deverão, data maxima venia, rever seus conceitos. Saírem definitivamente do pedestal, rasgarem suas togas, ao menos em termos de oxigenação do pensamento, e lembrarem para qual missão eles optaram quando fizeram o concurso para a magistratura. Lembrarem, ainda, de que são servidores públicos, tal e qual o mais simples dos servidores e que devem agir em defesa da sociedade que lhes pagam os vencimentos.

Todos esses juízes que receberam milhares de reais a título de indenização, vão conseguir comprovar, salvo engano, que esses recursos eram devidos e que tudo que receberam é absolutamente legal. Mas ser legal, não significa ser moral. Muitas vezes, o legal pode ser nojento, fétido, vergonhoso.

Enquanto isso aguardo por respostas, que não sei dar, a perguntas que eu recebo dos meus companheiros diuturnamente. Querem exemplos?

Por que o desembargador recebeu 1,5 milhão de reais e eu tenho verbas de indenização para receber, pedi para uma cirurgia para a minha mãe e sequer me responderam e tive que recorrer a um agiota?

Estou com câncer. Pedi aquilo que o TJ me deve para comprar remédios. Tenho mais de 200 mil para receber e me pagaram 4 mil. A quem recorrer?”

Pedi verbas indenizatórias que o TJ não me paga há uma década para comprar uma cadeira de rodas motorizada para minha filha que é portadora de necessidades especiais. A cadeira custa 14 mil. Juntei laudos médicos e orçamentos de compra, e o TJ me mandou 4 mil. O que fazer?

Esses são apenas exemplos pinçados de uma dura realidade naquele que é tido como o maior Judiciário do País.


A peça que se encaixa

O meu maior incômodo em toda essa história é o encaixe de uma peça a esse grande quebra-cabeça.

Em 2010, acompanhei e trabalhei nos 127 dias de greve do Judiciário, a maior da história do funcionalismo público paulista e lembro-me de parlamentares e representantes do governo que afirmavam não poder mandar mais dinheiro para o Judiciário, para cumprir nossa mísera data-base de 4,77%.

Repetida e enfadonhamente, eles alegavam, inclusive o governador à época, de que o Judiciário já havia recebido recursos para cumprir a reposição salarial.

Agora eu entendo para qual esgoto e quais foram os ratos que se locupletaram da verba que era destinada a todos.

1 visitantes online agora
0 visitantes, 1 bots, 0 membros
Máx. de visitantes hoje: 4 às 12:57 am BRT
Este mês: 13 às 08-11-2016 09:17 pm BRT
Este ano: 24 às 02-13-2016 02:16 pm BRST
No total: 111 às 03-18-2011 02:35 am BRT