Lionel Andrés Messi, claro!

por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

A coisa tá difícil? O time adversário monta uma retranca até com os seus ancestrais? Chama o Messi. Ele resolve.

Foi o que aconteceu nesta tarde-noite em Camp Nou, templo sagrado do futebol, quando o Barcelona venceu o Arsenal por 3 a 1 e se classificou para as quartas de final da Liga dos Campeões da Europa.

Tendo vencido o primeiro jogo na Inglaterra por 2 a 1, o Arsenal veio com a clara proposta de jogar no erro do Barcelona. O que se viu no primeiro tempo, foi uma disputa de ataque contra defesa e pior para o time britânico que ainda teve que trocar o bom goleiro Szczesny pelo fraco Almunia. O arqueiro sofreu uma contusão na mão após uma falta cobrada por Daniel Alves.

O Barcelona também tinha seus problemas. Com as ausências de Piqué e Puyol, Guardiola escalou Abidal e Busquets improvisados na zaga, o que não era lá muito confiável.

Mas o Barça, tinha Messi…

As principais ou únicas jogadas de perigo saíram dos pés do atacante argentino. Quando se imaginava o fim do primeiro tempo no zero, apareceu a genialidade do melhor do mundo. Já nos acréscimos, Iniesta passou à Messi, que entrou na área, deu um chapéu em Almunia com um leve toque e bateu para o fundo da rede.

Ressalte-se que o Arsenal abusou da violência no primeiro tempo. Sagna, Koscielny, Wilshere, Van Persie receberam cartões amarelos. E o holandês iria pagar caro por um empurrão no rosto de Daniel Alves.

No começo do segundo tempo, a sorte pareceu sorrir aos britânicos. Numa cobrança de escanteio de Nasri, Busquets cabeceou contra o gol de Victor Valdés e fez contra: 1 a 1.

Mas o que Busquets deu, Van Persie tirou. O holandês tomou o segundo cartão amarelo num lance infantil. Concluiu uma jogada após o apito de impedimento do bom árbitro suiço Massimo Busacca.

Com um a menos, o Arsenal se retraiu ainda mais para segurar o resultado que lhe era favorável. Mas não por muito tempo.

Aos 23 minutos, bela jogada do time catalão. Iniesta pelo meio, tocou para Villa, que rolou de primeira para Xavi. O meia invadiu a área e tocou sem defesa para Almunia: 2 a 1, resultado que levava a partida para a prorrogação.

O Arsenal não teve sequer tempo de esboçar uma reação. Dois minutos depois, Pedro recebeu de Xavi na área e foi derrubado. Pênalti. E mais uma vez, Messi definiu. Cobrou com muita categoria no canto esquerdo e Almunia nem se mexeu e fez 3 a 1.

Quase no final do jogo, o meia brasileiro Adriano resolveu dar emoção à partida. Errou na frente da zaga, Wilshere roubou a bola e lançou Bendtner na área, mas Valdés, até então um mero expectador VIP, conseguiu cortar o chute na hora certa. Um gol daria a classificação ao Arsenal.

Resultado justo para um jogo que só um time atacou. Tanto que o “temível” goleiro Almunia evitou um desastre ainda maior.


Os gols de Barça e Arsenal



Os homens do gelo

No outro jogo das oitavas de final, os ucranianos (ou será brasileiros?) do Shakhtar Donetsk bateram a Roma, em casa, por 3 a 0. Como já haviam vencido na Itália por 3 a 2, só ratificaram aquilo que já se esperava. Aliás, o que esperar de um time que até hoje, dependia desesperadamente de Adriano com seu futebol duvidoso e problemas extra-campo? Ah! Só para constar. Doni continua sendo o mesmo goleiro capenga que defendeu (?) o Corinthians. Mas o alvinegro do Parque São Jorge tinha em campo um digno representante. O atacante Willian que marcou um golaço (o segundo) da equipe que vem do frio.

O time ucraniano ainda é uma incógnita. Vai depender muito do sorteio dos próximos jogos, o que acontece em 18 de março na Suiça.

Aguardemos!

You may also like...

Deixe uma resposta

5 visitantes online agora
0 visitantes, 5 bots, 0 membros
Máx. de visitantes hoje: 9 às 02:52 am BRST
Este mês: 26 às 10-06-2017 06:47 am BRT
Este ano: 31 às 03-30-2017 10:25 am BRT
No total: 111 às 03-18-2011 02:35 am BRT