Category: Blog Canelada

Marketing: Corinthians e Palmeiras juntos pelo ambiente 0

Marketing: Corinthians e Palmeiras juntos pelo ambiente



por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Rivalidade em campo é uma coisa. Isso, Corinthians e Palmeiras tem de sobra. Costumo inclusive brincar com uma das históricas e inteligentes afirmações de Nelson Rodrigues de que o “Fla X Flu surgiu 40 minutos antes do nada”. E completo: mas a preliminar foi Corinthians e Palmeiras.

Fora de campo, a história é outra. Além do reconhecido respeito mútuo, o maior clássico paulista está sendo revertido em prol do ambiente.

Desde o ano passado, uma ação de marketing promovida pelo Banco Cruzeiro do Sul tranforma gols em árvores plantadas. Trata-se do Projeto Jogando pelo Meio Ambiente. O Sport Club Corinthians Paulista foi o pioneiro no projeto implantado em agosto de 2010 e a partir desta semana, a Sociedade Esportiva Palmeiras começa a integrar a ação.

A cada jogo, cada uma das equipes terá plantada cem árvores e a cada gol marcado, mais cem. Pelos números de 2011, o Palmeiras plantou 6700 árvores, em 24 jogos, com 43 gols marcados. Pelo Corinthians foram plantadas 5400 árvores, em 21 jogos e 33 gols.

A ação de marketing ainda envolve a realização de palestras e campanhas de conscientização sobre a preservação do ambiente com as torcidas das duas equipes.

O projeto tem dois embaixadores. São os goleiros Julio Cesar (Corinthians) e Deola (Palmeiras).

(*) Com informações e fotos da JPMA

Timão B vence lanterna e agora é hora de “mata-mata” 0

Timão B vence lanterna e agora é hora de “mata-mata”

por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Lição fora de casa cumprida. Com o time reserva e enfrentando um time já rebaixado, o Corinthians não teve dificuldades para vencer o Santo André por 2 a 0, na tarde deste domingo no estádio Bruno José Daniel na cidade do ABC. O resultado manteve o Timão na 3ª posição do Campeonato Paulista 2011 e, como já havia palpitado analisando-se os jogos da última rodada, o Corinthians enfrentará o Oeste pelas quartas de final do torneio. A partida está previamente marcada para o próximo domingo, às 16 horas no estádio do Pacaembu.

Os horários e os dias dos jogos serão informados pelo departamento de competições da Federação Paulista de Futebol nesta segunda-feira após a realização do conselho técnico, às 15 horas, na sede da FPF.


O jogo

Mesmo atuando com reservas, o Corinthians demonstrou ser melhor que a equipe do ABC e, quem teve a chance concedida pelo técnico Tite. Foi um jogo bastante movimentado e nos primeiros dez minutos, Santo André e Corinthians revezaram-se nos ataques. A partir daí, o alvinegro passou a dominar a partida. Edno perdeu uma clara oportunidade de gol. Na jogada seguinte, o Timão abriu o placar. Bola cruzada da esquerda por Willian que Paulo André cabeceia no canto para marcar 1 a 0 para o Corinthians.

Após o gol sofrido, o time do ABC começou a equilibrar as ações, mas a bola ficava mais presa no meio de campo, sem que tenha havido nenhuma oportunidade real para duas equipes até o final da primeira etapa.

O segundo tempo começou idem ao primeiro, com jogadas de lado a lado, mas sem grandes chances para ambas as equipes. O Santo André teve um lance isolado com Ânderson, numa cabeçada isolada, após cruzamento de Aloísio. E o jogo se encaminhava para o fim, com o resultado de 1 a 0.

Entretanto, numa cobrança de falta no final da partida, Bruno César cruza na cabeça de Edno para marcar 2 a 0. O gol foi importante. Até aquele instante, o Corinthians estava se classificando em 4º lugar (menor número de gols marcados) e enfrentaria a Ponte Preta nas quartas de final. Com o gol de Edno, o Timão ficou mesmo em 3º (melhor saldo de gols) e encara o Oeste.

O resultado manteve um longo tabu de 22 anos sem derrotas para a equipe do ABC.

O Santo André, vice-campeão paulista no ano passado, melancolicamente já havia sido rebaixado e terminou a rodada como o lanterna do campeonato.

O destaque do jogo, mais uma vez, fica com Paulo André. Ele joga melhor que o Castán. Mas o Tite não enxerga.


ESPORTE CLUBE SANTO ANDRÉ 0 X 2 SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA

Estádio Bruno José Daniel, em Santo André (SP)
Árb
itro: Aurélio Sant’anna Martins
Assistentes: Reinaldo Rodrigues dos Santos e
Osny Antônio Silveira
Assistentes adicionais: Rogério Pereira Pires e
Marcos Silva dos Santos Gonçalves
Público e renda: não divulgados

Gols: Paulo André [C] (21′) e Edno [C] (88′)

SANTO ANDRÉ: Neneca; Iran, Anderson, Sandoval e Denis; Wallax (Mika), Magno, Juan Felipe (Edílson) e Aloísio; Borebi (Célio Codó) e Richely
Técnico:
Sandro Gaúcho

CORINTHIANS: Rafael Santos; Moacir, Wallace, Paulo André e Marcelo Oliveira; Moradei, Cachito Ramírez, Bruno César (Nenê Bonilha) e Danilo; Willian e Edno
Técnico:
Tite

Ficha Técnica by Gazeta Esportiva.Net

Corinthians B encara Santo André rebaixado 0

Corinthians B encara Santo André rebaixado


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Se não fosse o fato de ser o Sport Club Corinthians Paulista em campo, o jogo de logo mais às 16 horas no estádio Bruno José Daniel, em Santo André, pouco valeria.

Pela última rodada de classificação do Campeonato Paulista 2011, o Corinthians já classificado há muito tempo joga contra um Santo André já rebaixado para série A-2 do Paulistão do próximo ano.

Por isso, o técnico Tite resolveu colocar o time reserva em campo e, assim, poupar os titulares para a disputa das quartas de final que ocorre no próximo final de semana.

Pessoalmente, sou contra a atitude do técnico. Primeiro, porque o Corinthians só está disputando o Paulistão e, creio eu, que uma semana seja mais que suficiente para recuperar os atletas. Além disso, a partida de quartas de final é decidida num jogo único “mata-mata”, onde todo cuidado é pouco e exige foco. O time principal estará duas semanas sem jogar e importantes jogadores, casos de Alessandro e Dentinho, suspensos e Jorge Henrique, contundido, estão há mais tempo sem atuar.

Tite também afirmou nesta semana que vai “acontecer m….” com algum dos grandes de São Paulo nas quartas de final do campeonato, justamente pelo modelo de disputa. Só espero que esta atitude do treinador não transforme o time num bando de jogadores desentrosados na semana que vem e que a m….. não aconteça com a gente.

Seja como for, há atletas que vestem o manto sangrado alvinegro logo mais: Rafael Santos; Moacir, Wallace, Paulo André e Marcelo Oliveira; Moradei, Luis Ramírez, Danilo e Bruno César; Willian e Edno. Boa sorte à rapaziada. Se bem que ganhar ou perder vai apenas definir quem fica com o 3º ou 4º lugar. O mais provável adversário do Corinthians no jogo de quartas de final é o Oeste de Itápolis, analisando-se as partidas desta última rodada. O Santo André, já rebaixado, apenas cumpre tabela e ainda sonha em reverter a vantagem do Palmeiras na Copa do Brasil.


História e tabu


Diferentemente do São Caetano, como já relatei, uma pedra no sapato do Corinthians, a série de confrontos do Timão diante do Santo André é plenamente favorável. Em 32 anos de história foram 31 jogos com 15 vitórias do alvinegro, 12 empates e 4 derrotas. O Corinthians marcou 45 gols no total e sofreu 25.

O mais recente confronto, pelo Paulistão do ano passado, teve vitória corinthiana por 2 a 1, gols do atacante Dentinho e do lateral Roberto Carlos. Ricardo Conceição diminuiu para a equipe do ABC. Foi neste jogo que Dentinho entrou para a história do clube, ao anotar o gol de nº 10.000 aos três minutos da partida que aconteceu na Arena Barueri, em 14 de março de 2010.

O Corinthians defende, ainda, um longo tabu. São quase 22 anos sem perder da equipe da grande São Paulo. A última derrota aconteceu pelo Paulistão de 1989, pelo placar mínimo


De olho no apito

Caberá a Aurélio Sant’anna Martins conduzir a partida. Ele será auxiliado por Reinaldo Rodrigues dos Santos e Osny Antonio Silveira. O quarto árbitro será Norberto Luciano Santos da Silveira. Os assistentes adicionais serão Robério Pereira Pires e Marcos Silva dos Santos Gonçalves.

Corinthians perde do São Caetano na apresentação de Adriano 1

Corinthians perde do São Caetano na apresentação de Adriano

Ouça a narração de José Silvério com reportagens de Leandro Quesada e Alexandre Praetzel
(Grupo Bandeirantes de Rádio)

Eduardo (pen – 9′)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Eduardo (55′)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Paulinho (80′)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Não foi por falta de avisar. A história tem seu lado pedagógico e mostra que a equipe do ABC Paulista é uma pedra (ou várias) no sapato corinthiano. Mal comparando, parece que o Corinthians treme ao ver o uniforme azul do São Caetano, da mesma forma que o igual azul da França atemoriza a seleção brasileira.

Hoje à tarde no chuvoso Pacaembu, para quase 19 mil torcedores, não foi diferente. O Azulão venceu o Corinthians por 2 a 1. Em relação aos demais jogos da rodada, o resultado não alterou a situação do time. O Corinthians permanece em 3º lugar, mas sem chances de chegar à liderança na última rodada. Está empatado com o mesmo número de pontos do Santos, estando à frente por melhor saldo de gols.

Independente dos jogos da última rodada (a Federação Paulista de Futebol marcou tudo para o domingo às 16 horas), o máximo que pode acontecer é o Corinthians terminar a primeira fase na quarta posição. O Timão vai a Santo André enfrentar o já rebaixado time local, enquanto na Vila Belmiro, o Santos recebe o Paulista que luta pela última vaga do G-8.

Ainda que termine em 4º lugar, o Corinthians disputará a única partida de quartas de final em casa. E reiteiro, como já opinei na semana passada, que o adversário deve sair entre Mirassol ou Oeste, duas equipes que foram derrotadas pelo Timão nesta fase do campeonato. O Corinthians ainda pode ter a sempre complicada Ponte Preta pela frente, dependendo da combinação de resultados.

Chega de contas.


Pré-jogo

O centroavante Adriano foi apresentado à Fiel Torcida. Em que pese ter sido muito aplaudido, seu nome não foi gritado pelos torcedores como em outras ocasiões, o que demonstra um certo ceticismo em relação ao futebol que o atleta poderá vir a apresentar. Ele declarou que começa a treinar amanhã para a estreia no Campeonato Brasileiro que começa na segunda quinzena de maio.

As vítimas do Massacre de Realengo também não foram esquecidas na partida. Além do habitual minuto de silêncio, os torcedores lançaram bexigas ao ar com cartazes contendo o nome de cada uma das vítimas. Repetindo uma ideia adotada pelo marketing corinthiano, que homenageou o Japão quando aconteceu o terremoto e tsunami violentos no mês passado, os jogadores do Corinthians vieram a campo hoje, com os nomes das vítimas do trágico episódio que aconteceu no Rio de Janeiro na semana passada, inscritos nas camisas.


O jogo

O Corinthians teve muito mais volume de jogo, dominou boa parte das iniciativas, mas errou muitos passes e, mais uma vez, pecou nas finalizações. O São Caetano, a grosso modo, teve duas oportunidadades e aproveitou-se de uma tarde infeliz de Leandro Castán, que esteve envolvido nos dois gols do adversário. No primeiro, logo a 9 minutos de jogo, Castán fez pênalti em Artur, convertido por Eduardo com categoria. No segundo gol, já na etapa final, Eduardo dominou a bola, tocou por debaixo das pernas do zagueiro corinthiano e marcou um belo gol na saída de Julio Cesar.

O Corinthians teve boas chances com Paulinho e Ramírez no primeiro tempo. E outras oportunidades com Willian e Danilo na etapa final. Bruno César, que substituiu Ramírez no início do segundo tempo, deu mais velocidade ao time e ainda mandou uma bola no travessão.

O gol do Corinthians saiu num lance de sorte. Paulinho, já habituado a chutar de fora da área, armou a bomba, a bola desviou em Augusto Recife e encobriu o goleiro Luiz.

Após o primeiro gol, o Timão pressionou o São Caetano até o final, sem êxito.


Problemas

A torcida, nas redes sociais, voltou a pegar no pé e a pedir a cabeça de Tite. Técnica e taticamente, Tite não mudou a sua “treinabilidade”. É mesma coisa de duas semanas passadas, quando o time assumiu a liderança do campeonato. O Corinthians sente muito a ausência de Alessandro, que se não é nenhum Zé Maria, é o dono da lateral direita corinthiana e, com todo o respeito, nem Moradei, nem Moacir, dão conta do recado. O Timão também sente enorme falta de Dentinho e Jorge Henrique. São eles que fomentam os ataques letais de Liédson. Ramírez e Willian, não conseguem exercer a mesma função e deixam Morais isolado. O alvinegro é ultradependente de Liédson. Quando ele marca, o time vence. Se ele não marca, o time não vence.

O grande erro de Tite, e agora já é fato consumado, é a questão Bruno César. O treinador não gosta do meia. E ele é fundamental ao time. Tite não o coloca desde o início do jogo para não dar o braço a torcer e usa do argumento que Bruno já acertou com o Benfica.

São, enfim, três partidas sem vencer e é complicado entrar num “mata-mata” numa curva descendente. Ao menos temos a certeza de que, em duas semanas, o Corinthians colocará seu time titular para seguir vivo na competição e conquistar mais um Paulistão.


SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA 1 X 2 ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA SÃO CAETANO

Estádio Paulo Machado de Carvalho, Pacaembu,
São Paulo (SP)
Árbitro: Robério Pereira Pires
Assistentes: Dante Mesquita Junior e Ricardo Busette
Assistentes adicionais: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza e Thiago Silva Egidio
Público: 17.260 pagantes
Renda: R$ 540.179,50

Gols: Eduardo [SC] (pen – 9′ e 55′) e Paulinho [C] (80′)
Cartões amarelos: Leandro Castán [C]; Eduardo, Jean,
Bruno Recife, Augusto Recife, Souza e Luiz [SC]

CORINTHIANS: Julio Cesar; Moradei (Moacir), Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Morais (Danilo) e Luis Ramírez (Bruno César); Willian e Liédson
Técnico:
Tite

SÃO CAETANO: Luiz; Jean, Thiago Martinelli e Anderson Marques; Artur, Augusto Recife, Souza (Erandir), Aílton e Bruno Recife; Eduardo (Ricardo Conceição) e Antônio Flávio (Renatinho)
Técnico:
Ademir Fonseca

Ficha Técnica by Gazeta Esportiva.Net

Meu caro Adriano, seja bem-vindo ao Parque São Jorge 0

Meu caro Adriano, seja bem-vindo ao Parque São Jorge

por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada


Devo ser honesto a você e revelar que já escrevi que não era favorável à sua vinda. Não sou do tipo que esquece das coisas que fala ou escreve, nem tampouco muda de opinião.

Você é um grande jogador e parece até ser um bom rapaz, em que pese os diversos problemas extracampo que você apresentou ao longo de sua carreira. Não sou santo, ninguém é, portanto não lhe atirarei pedras.

Entretanto, é importante que você seja esclarecido em relação a alguns aspectos do Sport Club Corinthians Paulista, pois afinal, logo mais, você será apresentado à Fiel Torcida e em maio usará o mesmo manto vestido por Roberto Rivellino, Sócrates, Basílio, Neto, Marcelinho Carioca, Tevez, Dida, Baltazar, Dino Sani, Garrincha, Gamarra, Oreco, Ronaldo, Rincón… a lista é boa e grande.

O “Monumental” do Pacaembu deverá ter por volta de 20 mil torcedores, pouco mais pouco menos, que além de empurrar o time, vão lá dar as boas vindas a você.

Saiba que nenhum dos clubes que você atuou, repito, NENHUM tem as mesmas características do Corinthians. Aqui ou no exterior. E escrevo isso sem nenhuma arrogância ou prepotência, mas também deixo claro que não sou hipócrita.

Você, certamente, entrará para um grupo seleto de jogadores que não precisa, em tese, vencer títulos, ganhar campeonatos ou ser artilheiro de qualquer torneio.

Saiba que a torcida do Corinthians é a única no planeta, salvo engano, que teve seu maior crescimento durante um período de 23 anos sem ganhar absolutamente nada e que, ainda assim, comemorou um tabu quebrado contra o Santos (em que há controvérsias); que rachou o Maracanã ao meio com a torcida do Fluminense e arrancou um empate na marra para decidir o campeonato nacional contra o Inter e que ganhou a rendenção nos pés de Basílio, sendo campeão de um “mero” “paulistinha” no conceito de muitos.

O Corinthians, meu caro artilheiro, é o time do imponderável. Do gol do Ronaldo Fenômeno contra o Palmeiras nos acréscimos, ao pênalti perdido por Edmundo na final do Mundial Interclubes. Dos dois pênaltis de Raí defendidos por Dida ao gol milimétrico de Ricardinho contra o Santos. É o time das grandes vitórias e o time das derrotas mais doídas.

Não, Adriano! Aqui na “Marginal s/n”, você não será obrigado a vencer títulos, nem carregar os outros jogadores nas costas e ser taxado de “problema”, apenas porque o título que se imaginava ganhar com a sua prensença em campo não veio, mesmo você sendo o melhor jogador do time.

Saiba Adriano, que aqui no “timinho que não tem passaporte” há uma torcida que, certamente, rezará para você todos os instantes reencontrar o seu valoroso e verdadeiro futebol e quem sabe você não seja o camisa 9 do Brasil nesta Copa caseira que teremos em três anos.

Aqui você só precisa jogar, não acreditar que nenhuma bola esteja perdida e que se tiver que mandar a bola pro mato porque é jogo de campeonato o faça da mesma forma que os antigos beques de fazenda, sem dó, nem piedade. Faça valer, não os seus milhões merecidamente recebidos. Faça valer a magia que só quem está no Corinthians sabe o que é. E para o resto não adianta explicar, porque eles jamais terão essa percepção. Por sinal, como já escrevi por aqui, Dadá Maravilha já sentenciou que “dez entre dez jogadores querem jogar no Corinthians“. Então aproveite essa oportunidade única e seja feliz.

Você não precisa ser fabuloso, posto que a fábula é algo imaginário e absorvido por lições de moral. Seja apenas real, que é algo concreto e verdadeiro, como convém a um Imperador.

Você só precisa, meu caro, ao vestir o manto sagrado branco, negro, listrado ou a cor que for inventada, saber que por trás deste escudo centenário, haverá 30 milhões de pessoas que vão te amar ou vão te odiar. E a escolha só caberá a você.

Não fui favorável à sua vinda, repito, mas torço para que você faça eu queimar a língua a cada nova rodada e que ao final de sua passagem por aqui, meus amigos digam que eu estava completamente equivocado.

1 visitantes online agora
0 visitantes, 1 bots, 0 membros
Máx. de visitantes hoje: 9 às 01:55 am BRT
Este mês: 26 às 08-18-2017 01:19 pm BRT
Este ano: 31 às 03-30-2017 10:25 am BRT
No total: 111 às 03-18-2011 02:35 am BRT