[Sylvio Micelli]

Crise no Judiciário – A dúvida é: os magistrados serão punidos? 1

Crise no Judiciário – A dúvida é: os magistrados serão punidos?

por Sylvio Micelli / ASSETJ

O atual Corregedor Geral da Justiça de São Paulo, desembargador José Renato Nalini escreveu, neste final de semana, um artigo no jornal “O Estado de São Paulo”, intitulado “A quem interessa?”, onde expressa sua opinião sobre todo o debate acerca do Judiciário que vendo sendo travado há um mês, especialmente na guerra de poderes que envolve o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e todos os desdobramentos que ganham páginas e mais páginas nos jornais.

Com as vênias de praxe, peço permissão a Vossa Excelência para discordar do teor do artigo, que passo a analisar a seguir.

O Corregedor avalia que os magistrados que se “auto-pagaram” verbas milionárias, ainda que devidas, pensaram “com o egoísmo característico desta era” naquela filosofia que o povão conhece como “farinha pouca, meu pirão primeiro”. Mesmo contando com a crítica do Corregedor sobre tal atitude perniciosa parece-me que ele trata o assunto de forma normalíssima, quase como um pecadilho, tendo em vista que as verbas eram devidas e que “não houve desfalque, maracutaia, falcatrua, embolso, corrupção”. Nas entrelinhas parece que o Corregedor acredita que foi uma atitude errada, mas que está dentro dos padrões usados pela dita sociedade moderna.

Gostaria de saber se algum trabalhador do Judiciário tivesse acesso às contas e pagasse aquilo que lhe é devido, da mesma forma que tais magistrados agiram, se a Corregedoria trataria o assunto com tal parcimônia…

Salvo melhor juízo, houve sim um crime que está bem delineado na esfera penal, quando vem à tona que ex-presidentes e membros da Comissão de Orçamento do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo pagaram, a si mesmos, elevadas quantias, ainda que, repito, devidas. Vejamos o que diz o Código Penal Brasileiro sobre o assunto:

O Artigo 319 do CPB explica o que é Prevaricação. Trata-se de um crime funcional, ou seja, praticado por funcionário público contra a Administração Pública. A prevaricação consiste em retardar ou deixar de praticar devidamente ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. (g.n.)

Ora… Se há uma verba vinda do Tesouro Estadual que é para ser repartida entre a maior quantidade possível de servidores do Judiciário, afinal de contas estamos na Casa da Justiça – e juízes e desembargadores também são servidores públicos – quando alguém tem informação privilegiada e, além disso, é detentora da caneta e faz o que fez, incorre num crime. Está embolsando, sim, está desfalcando, sim, verbas que ainda que lhe sejam devidas deveriam “aguardar melhor oportunidade” de pagamento, como é o despacho comum no TJ Paulista, independente dos motivos que deram ensejo aos pagamentos efetuados. Ou seja: pouco importa se o apartamento inundou, ou se há um tratamento de saúde ou se era para pagar dívidas.

Trata-se ainda de mandatários máximos da Justiça, a quem imaginava-se deveriam nortear sua conduta pelos princípios éticos, morais e isonômicos. Não me parece que tenham agido com tais princípios.

Eu tenho, por exemplo, quase 60 mil servidores do Judiciário paulista (entre ativos, aposentados e pensionistas) nas mesmíssimas condições, casos de câncer, filhos portadores de necessidades especiais, pais na fila de transplante e que pedem aquilo que também lhes é devido, em montantes muito inferiores aos que aparecem agora na mídia e, quando o Tribunal responde, o que é raro, lhes dá algumas quimeras. Só para que a sociedade tenha noção, nossos aposentados por invalidez e outros que são abrangidos pela Lei Complementar nº 1010/2007 que criou a São Paulo Previdência, ficaram mais de três anos sem nenhuma reposição e ainda há um passivo a ser recebido sem perspectiva de que as dívidas sejam pagas. Os pensionistas, nem isso. Muitos amargam, sob o escopo e o respaldo da burocratização e da falta de funcionários na SPPrev, a atualização monetária que também não chega.

Voltando à esfera criminal, o Artigo 312 do CPB é ainda mais claro, quando fala sobre Peculato. Trata-se de um crime de apropriação por parte do funcionário público, de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou privado de que tenha a posse em razão do cargo, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio. Além de, não tendo a posse, mas valendo-se da facilidade que lhe proporciona o cargo, subtrai-o ou concorre para que seja subtraído para si ou para alheio. (g.n.)

Acho que nem precisa explicar. Apenas ressalvo que o dinheiro que estava lá era deles. Mas era também dos outros.

Sendo assim, os magistrados que se aproveitaram de informações privilegiadas cometeram, sim, um crime contra a Administração Pública. Há penas de detenção e reclusão para ambos os casos, além de multa. E aí, a pergunta que não quer calar: eles serão punidos? Óbvio que não. Fosse o Brasil um país sério, eles seriam detidos, obrigados a devolver o dinheiro cuja versação fizeram mal uso. Se fosse num país asiático então, é bem provável que se suicidariam, diante de tamanha vergonha. Mas relaxem… estamos no Brasil.

Continuando seu artigo, José Renato Nalini faz críticas à mídia sobre a qual acredita querer nivelar os níveis de corrupção praticados pelo Executivo, Legislativo e, agora, o Judiciário. “Não é algo elogiável, porém os seus efeitos se circunscrevem a um universo restrito. Não se roubou a Nação”, informa o Corregedor.

Veja bem. Aqui se trata do modus operandi e agradeço aos céus que os envolvidos não estão em nenhum cargo público porque, certamente, agiriam da mesma forma. O que se deve punir é o ato em si. O fato de terem sacaneado os próprios colegas e nossos milhares de servidores, fazem destes senhores pessoas ainda mais perigosas. Nem corporativos são. São “traíras” como o povão diz por aí.

O Corregedor mais a frente acredita que “o perigo é que o tom das reportagens levem a população a acreditar que não há diferença entre quem lesa o Tesouro e quem “atropela” os colegas para reduzir seus créditos perante o devedor”. Lamento informá-lo de que não há diferença. Repito que o foco deve ser o ato em e não o universo a que está circunscrito. Sob o ponto de vista penal, que lesa em 100 mil ou em 100 milhões, quer seja na iniciativa privada ou pública, merece o mesmo tratamento.

Além do mais, há uma série agravante em todo este imbróglio e que José Renato Nalini não cita. Estes magistrados não agiram apenas em benefício próprio e “apenas” lesaram colegas da magistratura ou os servidores. Os nomes que aparecem referem-se a mandatários do Poder Judiciário paulista entre 2008 e o início de 2011. Trata-se de um período que nem mesmo a reposição salarial dos servidores foi paga e que culminou com o mais duro e longo período de paralisação do TJ paulista, quando chegamos a 127 dias de greve. Enquanto se negava aos servidores a mera reposição da inflação, num flagrante descumprimento ao mandamento constitucional (Art. 37, X, CF), locupletavam-se esses senhores exaurindo os parcos recursos do Judiciário. Prejudicavam, assim, seus colegas, os servidores e toda a sociedade.

O Corregedor, por fim, também acredita que estejam desviando o foco do “mensalão” e usando o Judiciário como escudo. É bem provável que isso ocorra de fato. A Imprensa, há muito, quer ver sangue jorrando sob as togas e existe a efetiva possibilidade de que outros interesses, excusos ou não, façam parte deste policiamento do Judiciário. Entretanto, este processo de transparência parece finalmente chegar ao Poder Judiciário.

Este sangramento em praça pública, apesar dos pesares, é um mal necessário e, rogamos que ao final de tudo tenhamos um Judiciário transparente, limpo, oxigenado. É preciso lembrar que o câncer, após extirpado, deve passar por sessões quimioterápicas até a definitiva cura. Do contrário as metástases voltam e muitas vezes com mais força.

[#humor] Alfinetando os adversários do Corinthians – 22 JAN 2012 0

[#humor] Alfinetando os adversários do Corinthians – 22 JAN 2012


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Amigos caneludos, sejamos torcedores e, óbvio, ironizemos os nossos adversários… A intenção aqui é a brincadeira e o prazer da zoação, sem compromisso com nada e sem ofensas, paranóias e outras coisas. Portanto, nada de manifestações hostís a quem quer que seja… Nem aos adversários, nem a nós. O que vale é a curtição!

1. Começamos com uma auto-afinetada: parece que o Adriano do Curinthia faltou ao treino desta semana porque também estava no Canadá… ao lado da Luíza, que já voltou do país da América do Norte. Quanto ao Adriano e o Corinthians… tá difícil. Parece que ele está com paradeiro incerto e não sabido. A última informação que recebi foi que o atacante foi convidado para ser o Rei Momo do Carnaval Paulistano.

2. Também dizem que o Adriano foi visto rondando o Projac no Rio de Janeiro, para ver se entrava na vaga do tal cara que possivelmente fez o que não devia com a moça na casa do BBB. O “atleta” corinthiano teria dito ao Bial que queria não fazer nada, dar uns malhos nas moças e, vez em quando (mas muuito em quando), usar a academia…

3. E tá tão na cara, tão na cara, mas tão na cara que o Timãozinho ganha a Copinha do Florminense que… não sei não… Dá uma meda… Mas a molecada tá show. Só falta ser aquela síndrome do coito interrompido. Quando você tá lá no bem-bom alguém bate na porta e…

4. E o Parmera começou bem o ano. Para dar uma limpada naquela bagunça do chiqueirão central usou o limpador Ajax, que é importado e promete remover até a sujeira mais profunda. Mesmo assim, de nada adiantou. Frizzo e Felipão, às turras, fizerem o que sabem fazer de melhor. Discutir. E isso faz um bem para os torcedores… dos outros times.

5. E por falar em verdinho, a molecada da Copinha foi esperta. Os onze porquinhos do Parque Antárctica já perderam do Atlético (PR) para evitar um vexame ainda maior. Já pensou tomar de seis do Coringão? É assim que se faz, molecada. Vocês tem um grande futuro… pelas costas.

6. Já que falei em “pelas costas”, o Tricolícia do Jardim Leonor aproveitou a São Paulo Fashion Week para lançar seu modelito, ops, uniforme, para 2012. Será que eles vão manter aquele shortinho vermelho que na TV parece fúcsia? Ai… só de imaginar me deu vontade de…

7. E diz que o goleiro Rogério Senil, que completa 39 anos, quebrou as unhas e ficará seis meses afastado dos gramados até que elas cresçam de novo. Para o seu lugar, nada melhor que o reserva Denis… aquele de rima fácil! Imagine os narradores… “E Denis põe pra fora!” “Espaaaaaaaaaaaaaaalma, Denis”. Cada lance, um orgasmo!

8. E leio num site que o time B do Santos empatou com o XV de Piracicaba na abertura do Paulistão. Eu não sabia que o Santos tinha time A… AAAAAAh! Já sei… aquele que virou sushi na mão do Barça…

9. Aliás… não entendi como a abertura oficial do Paulistão aconteceu em Piracicaba depois que três jogos já haviam acabado… Ah, já sei… Corinthians X Mirassol, Portuguesa X Paulista e Ituano X Guaratinguetá foram Torneio Início.

10. Voltando ao Barcelona, o Real Madrid poderia solicitar não mais disputar jogos contra o time catalão. Todos já sabemos o resultado. O Barcelona venceria por WO. Assim não perderíamos tempo, nem eu, nem eles e faríamos coisas mais aprazíveis como por exemplo, nada…

11. E alguém me explica aquela condecoração do Ronaldinho Pé Murcho e do Lux Hamburger lá na Bolívia? O Evo Morales não tem mais o que fazer, não? Ou foi uma forma deles pegarem leve com o poderoso Real Potosí? Sei não, Mengo… Abre o olho!

12. E o Ronaldinho Pé Murcho inventou uma nova desculpa para os cafas de plantão. Flagrado com uma mulher no elevador do hotel afirmou que desceu no andar errado… Aham, sei!

13. E diz que no intervalo do amistoso entre Corinthians e Flamengo, Gaúcho entrou no vestiário alvinegro pedindo trampo. Já pensou: Gaúcho e Adriano no mesmo time. Só falta botar a placa no vestiário com a inscrição Bataclã!

14. E o Corinthians começou o Paulistão daquele jeito. De virada, no final, com gol contra… Quando isso vai mudar, hein? Nunca, eu sei…

15. Falaram que o Tite foi ousado nas substituições. Foi nada. Sorte pura e um bocadinho de competência em ver que havia errado. Ser ousado é falar jogabilidade, empregabilidade, sustentabilidade, feiurabilidade, canelabilidade!

16. E ainda bem que acabou essa novela do Montillo com o Corinthians. O Cruzeiro tava querendo vender uma Toyota Hilux pelo preço de uma Ferrari…

17. E também acabou aquela “vaquinha” para comprar o Cristian. Provavelmente, não conseguiram os recursos para pagar a multa rescisória.

E para finalizar, como diz o Dr. House (o do seriado mesmo) “Você não pode viver sem amor? Bem, o oxigênio é ainda mais importante…

A diferença entre o Paulistão e os outros campeonatos regionais 0

A diferença entre o Paulistão e os outros campeonatos regionais


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Sei que o tema é controverso. Serei provavelmente chamado de bairrista, mas vamos lá.

Como todos sabemos, neste final de semana começa mais um Campeonato Paulista de Futebol, algo que incomoda alguns clubes arrogantes, outros torcedores, também arrogantes, menosprezam e muitos, a grande maioria, valorizam, não apenas pela história do Paulistão, mas por ser, efetivamente, uma competição de qualidade.

Neste final de semana, entra em campo 110 anos de tradição, glórias e muitas histórias. E suponho que alguns clubes teimam em menosprezar o campeonato, muito mais pelo nosso calendário, que é efetivamente ruim, do que propriamente pela competição.

Isso porque o Paulistão, meus caros, difere dos demais regionais e com todo o respeito às torcidas, sem estresse por favor.

Primeiro porque boa parte dos regionais não apresenta as mínimas condições de nada. Tudo bem que são jogos que podem colocar aí 30, 40 ou 50 mil torcedores nos grotões do País mas, certamente, os clubes devem ser mal gerenciados e/ou não sabem captar isso de forma decente.

Segundo porque os regionais que sobram travam disputas quase maniqueístas. Ou seja: ou ganha o clube A ou ganha o clube B e, raramente, acontece alguma zebra para dar sabor ao futebol.

O campeonato carioca aproxima-se do Paulistão pelos quatro clubes grandes, mas, muitas vezes, peca em estrutura. O formato da competição, porém é perfeito. Taça Rio, Taça Guanabara, campeão de um contra campeão do outro e se ganhar os dois, leva. Peca, ainda, nas semifinais de jogo único.

O Paulistão é outra pegada. Além dos quatro grandes, há estruturas muito fortes nos clubes do Interior, ainda que alguns tenham passado por imensas dificuldades. O campeonato paulista, apesar do domínio de Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos, não se resume a eles. Há ótimos clubes no Grande ABC, há nichos importantes do futebol como Campinas e Ribeirão Preto, além de outras cidades com seus representantes sempre importantes.

Pegando-se a última década da disputa tivemos vários clubes chegando entre os quatro primeiros como Portuguesa Santista (2003), São Caetano (2004, 2007), Paulista (2004), Santo André (2005, 2010), Noroeste (2006), Bragantino (2007), Ponte Preta (2008), Guaratinguetá (2008) e Grêmio Prudente (2009).

Em 2012, além de tudo isso, o Paulistão contará com o atual campeão da Libertadores e o atual campeão do Brasil. Não é pouca coisa.

Então, o Campeonato Paulista está muito à frente dos demais. E sou defensor da disputa. Até acredito que alterações devem ocorrer em nosso calendário, mas sem abrir mão desta competição que possibilita a manutenção de uma ampla estrutura de atletas, treinadores e diversos profissionais envolvidos no futebol.

Ao final, que vença o melhor. E se possível, que este melhor seja o Sport Club Corinthians Paulista.

1ª Rodada

21/01/2012 – Portuguesa x Paulista
21/01/2012 – Corinthians x Mirassol
21/01/2012 – Ituano x Guaratinguetá
21/01/2012 – Guarani x Oeste
21/01/2012 – Comercial x Linense
21/01/2012 – XV de Piracicaba x Santos
22/01/2012 – Bragantino x Palmeiras
22/01/2012 – São Paulo x Botafogo
22/01/2012 – Catanduvense x Mogi Mirim
22/01/2012 – São Caetano x Ponte Preta

Já curtiu o Blog Canelada no Facebook? Vem cá!

Já leu outros textos do Jornalista Sylvio Micelli? Vem cá!

Estupro no BBB e Luíza no Canadá: até onde caminharemos com nossa imbecilidade? 2

Estupro no BBB e Luíza no Canadá: até onde caminharemos com nossa imbecilidade?

por Sylvio Micelli

O primeiro mês do ano em que o mundo acabará teria tudo para ser algo insosso, comum aos janeiros. Entretanto, este janeiro ratifica que o fim do mundo está próximo ou é bem possível que o mundo já tenha até acabado e nós não nos demos conta disso.

Após Michel Teló ter sido elevado ao panteão da cultura brasileira pela revista Época, a sociedade tupiniquim passou a semana discutindo dois assuntos de suma importância para o crescimento e a soberania nacionais.

O que será feito para as próximas chuvas não matarem mais pessoas? Não!

Como serão as composições políticas para as eleições municipais de outubro já com a reforma ministerial prometida pela presidente Dilma Rousseff? Não!

Como o Brasil crescerá economicamente diante da eurocrise? Não!

A sociedade nacional foi compelida a discutir sobre um possível estupro na casa do BBB e todos conhecemos Luíza, aquela que estava no Canadá.

É bem provável que eu esteja ficando (ainda mais) rabugento devido à idade, mas fico imaginando como a mídia hegemônica tem a capacidade de criar fatos ou “memes” para desviar a atenção das pessoas sobre assuntos que efetivamente importam.


O que é um “mero estupro” para quem já f**** o Brasil?

Alguns amigos perguntaram-me, ao longo da semana, o que eu achava do “suposto estupro” no BBB. Inicialmente, nego-me a falar sobre lixo, mas tudo é possível vindo da emissora que patrocina a atração. Para a Globo, que já manipulou eleições, que já derrubou ministros, o que seria um estupro para quem já fodeu (e me perdoem a palavra) o País?

Sua programação é voltada para a mumificação de pessoas e consequente extração do cérebro e da capacidade de raciocínio.

O episódio do estupro em si, parece-me mais uma jogada de marketing.

Caso o fato tenha sido consumado deveria existir uma investigação dentro do que está escrito lá no Código Penal. E se aqui fosse um país sério, a atração teria sido tirada do ar, todos os participantes, o apresentador e os demais envolvidos seriam intimados a depor, inclusive e obviamente, o possível criminoso.

Parece, porém, ter sido tudo de mentirinha. Sabe como é: programa cansativo e repetitivo. Ibope em queda. O que fazer? Inventar algo escandoloso. O dinheiro paga tudo porque o Ibope sobe e depois aparecem aquelas desculpas esfarrapadas que evaporam na memória curta do povo brasileiro.

Seja como for… com estupro ou sem estupro, espero que desta vez, a “atração” global caia em desgraça e que nunca mais volte. Mas conhecendo nosso povo, “cultura”, costumes etc. É bem provável que criem um híbrido de BBB e CSI.


A Luíza que estava no Canadá

Nos anos 60, Andy Warhol, uma mistura de gênio e mago – que criou a seminal banda Velvet Underground – afirmou que todos teriam seus quinze minutos de fama.

A personalidade instatânea da semana é Luíza Rabello. Quem??? Luíza, aquela que estava no Canadá.

Uma adolescente, que estava no país da América do Norte fazendo intercâmbio, vira hit na Internet por conta de um comercial protagonizado pelo seu pai Gerardo Rabello, um colunista social da Paraíba. Uma frase pinçada a esmo e totalmente fora do contexto do comercial, dá fama e grana a uma bela moçoila no frescor dos seus 17 anos. Ela já voltou do Canadá para aproveitar. Tirou fotos, fez comerciais, foi entrevistada na TV e não duvido que, ao completar 18 anos, alguma revista masculina mostrará suas belas e viçosas curvas.

Todas as frases da semana, via Twitter, Facebook, TV, show, vinha com o pegajoso bordão: “Todos, menos Luíza que está no Canadá“.

É engraçado até certo ponto. Também não sejamos tão radicais. Eu mesmo fiz algumas ironias com o “meme”.

Mas é preciso que se faça um exame de consciência para avaliarmos até onde é capaz de caminhar nossa sociedade. É este, enfim, o País que queremos?

Coringão pega a “Barcelusa” no jogo da entrega de faixas 0

Coringão pega a “Barcelusa” no jogo da entrega de faixas


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

A noite desta quarta (18), será marcada por uma grande festa no Estádio do Pacaembu. Sport Club Corinthians Paulista e Associação Portuguesa de Desportos fazem uma partida amistosa e que marcará o encontro dos campeões da série A e B do Campeonato Brasileiro 2011. No evento será feita a entrega das faixas para os times campeões.

Tite permanece testando o time que estreia no Campeonato Paulista 2012, no próximo sábado, contra o Mirassol. O esquema deve ser o mesmo do amistoso contra o Flamengo, realizado no último domingo. No primeiro tempo jogam os titulares e na etapa final entram os reservas. Liédson será poupado e Adriano, ausente do treino realizado ontem, nem ficará no banco. Élton fará sua estreia e Willian substituirá a Danilo que iniciou o amistoso contra o Flamengo como titular.

O jogo desta noite tem mais um tempero. Numa correta homenagem ao Doutor Sócrates, o vencedor da partida levará o troféu que leva o nome do jogador que fez história no Corinthians e na Seleção Brasileira.

A Lusa, por sua vez, virá com seu time completo e que sobrou na disputa da série B no ano passado. Também haverá homenagem lusitana ao jogador Capitão, além da estreia do novo uniforme.


A história

Corinthians e Portuguesa tem mais de 90 anos de história. Tudo começou em 12 de junho de 1921. Pelo Campeonato Paulista, no estádio da Ponte Grande, antigo campo do Corinthians, o Timão goleou por 5 a 0.

De lá para cá já aconteceram 249 partidas e há ampla vantagem do Corinthians que venceu por 140 vezes. A Lusa venceu 58 vezes e há 51 empates. Foram 293 gols marcados e 212 sofridos.

O mais recente jogo entre as equipes aconteceu na estreia de ambos no Campeonato Paulista do ano passado. O Timão venceu por 2 a 0 com um gol olímpico de Roberto Carlos e o volante Paulinho completou a vitória corinthiana, no estádio do Pacaembu.


O estádio

O Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, mais conhecido por Estádio do Pacaembu, pertence à prefeitura de São Paulo. É considerada “a casa” do Corinthians que joga com maior frequência no local.

Essa será a partida de número 150 que o Corinthians disputará no Pacaembu contra a Portuguesa. O Corinthians venceu 79 jogos, empatou 38 e perdeu 32 jogando no estádio paulistano.

A mais recente partida do Corinthians no estádio foi no dia 4 de dezembro do ano passado. O empate de 0 a 0 diante do Palmeiras ratificou o quinto título nacional da equipe de Parque São Jorge.


Ficha Técnica – Jogo 2/2012

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTOS X SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA

Competição: Amistoso Nacional
Rodada: Única
Local: Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho [Estádio do Pacaembu], São Paulo (SP)
Data: 18 de janeiro de 2012

Árbitro e Assistentes: não informados

PORTUGUESA: Wéverton; Luis Ricardo, Leandro Silva, Renato e Marcelo Cordeiro; Boquita, Léo Silva, Henrique e Edno; Vandinho e Rodriguinho
Técnico: Jorginho Cantinflas

CORINTHIANS: Júlio César; Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Alex; Willian, Élton e Emerson Sheik
Técnico: Tite

5 visitantes online agora
0 visitantes, 5 bots, 0 membros
Máx. de visitantes hoje: 10 às 12:45 am BRT
Este mês: 28 às 06-04-2017 07:36 pm BRT
Este ano: 31 às 03-30-2017 10:25 am BRT
No total: 111 às 03-18-2011 02:35 am BRT