Tagged: Brasil

A diferença entre o Paulistão e os outros campeonatos regionais 0

A diferença entre o Paulistão e os outros campeonatos regionais


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Sei que o tema é controverso. Serei provavelmente chamado de bairrista, mas vamos lá.

Como todos sabemos, neste final de semana começa mais um Campeonato Paulista de Futebol, algo que incomoda alguns clubes arrogantes, outros torcedores, também arrogantes, menosprezam e muitos, a grande maioria, valorizam, não apenas pela história do Paulistão, mas por ser, efetivamente, uma competição de qualidade.

Neste final de semana, entra em campo 110 anos de tradição, glórias e muitas histórias. E suponho que alguns clubes teimam em menosprezar o campeonato, muito mais pelo nosso calendário, que é efetivamente ruim, do que propriamente pela competição.

Isso porque o Paulistão, meus caros, difere dos demais regionais e com todo o respeito às torcidas, sem estresse por favor.

Primeiro porque boa parte dos regionais não apresenta as mínimas condições de nada. Tudo bem que são jogos que podem colocar aí 30, 40 ou 50 mil torcedores nos grotões do País mas, certamente, os clubes devem ser mal gerenciados e/ou não sabem captar isso de forma decente.

Segundo porque os regionais que sobram travam disputas quase maniqueístas. Ou seja: ou ganha o clube A ou ganha o clube B e, raramente, acontece alguma zebra para dar sabor ao futebol.

O campeonato carioca aproxima-se do Paulistão pelos quatro clubes grandes, mas, muitas vezes, peca em estrutura. O formato da competição, porém é perfeito. Taça Rio, Taça Guanabara, campeão de um contra campeão do outro e se ganhar os dois, leva. Peca, ainda, nas semifinais de jogo único.

O Paulistão é outra pegada. Além dos quatro grandes, há estruturas muito fortes nos clubes do Interior, ainda que alguns tenham passado por imensas dificuldades. O campeonato paulista, apesar do domínio de Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos, não se resume a eles. Há ótimos clubes no Grande ABC, há nichos importantes do futebol como Campinas e Ribeirão Preto, além de outras cidades com seus representantes sempre importantes.

Pegando-se a última década da disputa tivemos vários clubes chegando entre os quatro primeiros como Portuguesa Santista (2003), São Caetano (2004, 2007), Paulista (2004), Santo André (2005, 2010), Noroeste (2006), Bragantino (2007), Ponte Preta (2008), Guaratinguetá (2008) e Grêmio Prudente (2009).

Em 2012, além de tudo isso, o Paulistão contará com o atual campeão da Libertadores e o atual campeão do Brasil. Não é pouca coisa.

Então, o Campeonato Paulista está muito à frente dos demais. E sou defensor da disputa. Até acredito que alterações devem ocorrer em nosso calendário, mas sem abrir mão desta competição que possibilita a manutenção de uma ampla estrutura de atletas, treinadores e diversos profissionais envolvidos no futebol.

Ao final, que vença o melhor. E se possível, que este melhor seja o Sport Club Corinthians Paulista.

1ª Rodada

21/01/2012 – Portuguesa x Paulista
21/01/2012 – Corinthians x Mirassol
21/01/2012 – Ituano x Guaratinguetá
21/01/2012 – Guarani x Oeste
21/01/2012 – Comercial x Linense
21/01/2012 – XV de Piracicaba x Santos
22/01/2012 – Bragantino x Palmeiras
22/01/2012 – São Paulo x Botafogo
22/01/2012 – Catanduvense x Mogi Mirim
22/01/2012 – São Caetano x Ponte Preta

Já curtiu o Blog Canelada no Facebook? Vem cá!

Já leu outros textos do Jornalista Sylvio Micelli? Vem cá!

Messi! Messi! Messi! 0

Messi! Messi! Messi!


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

E a Bola de Ouro de 2011 vai para…

Era meio óbvio. Todos sabiam que estavam lá apenas como figurantes. O Cristiano Ronaldo, o Xavi, as jogadoras, enfim todos.

Lionel Andrés Messi atinge, aos 24 anos, uma marca histórica. Iguala-se a outros gênios do futebol como Johan Cruyff (1971, 1973 e 1974), Michel Platini (1982, 1983 e 1984), Marco van Basten (1988, 1989 e 1992), Ronaldo Nazário (1996, 1997 e 2002) e Zinédine Zidane (1998, 2000 e 2003). Só isso. E não duvido que ele venha a ganhar mais uma Bola de Ouro para transformar-se no maior jogador deste milênio, quando o assunto é bola. Messi já fez mais que o antológico Don Diego Armando Maradona. E olha que Maradona, aos 24, não tinha feito pouco.

E Messi ainda tem uns bons 10 anos ou mais pela frente.

Sempre é preciso lembrar que existe, por boa parte dos brasileiros, um certo despeito ao Messi, pelo fato dele ser argentino, naquela rivalidade regional besta que muitos nutrem.

Muitos críticos dizem que Messi é produto de mídia. Pois bem. Ele é mídia, pela capacidade que tem. Business, meus caros. Cansei de escrever, aqui e alhures, que o Corinthians não é o time “queridinho” da mídia. A mídia quer o Corinthians, para o bem ou para o mal, por minha causa e por mais de 30 milhões de consumidores. O dia que os outros times atingirem essas marcas, a mídia vira a casaca facinho…

Muitos, com dor de cotovelo, dizem que Messi precisa arrebentar na seleção argentina. Os gênios que citei – Johan Cruyff, Michel Platini e Marco van Basten – foram jogadores nota 9,9 e não foram campeões do mundo porque a bola, nem sempre é justa e os companheiros, nem sempre ajudam. Ronaldo ganhou e tinha um grupo muito bom e Zidane também venceu sendo o maestro da sua equipe. Pode ser que Messi não seja campeão do mundo com a Argentina, mas ele tem aí umas três copas do mundo para ganhar (2014, 2018, 2022).

Muitos, já com a faca nos dentes, dizem que jogar no Barcelona é fácil. Será? É preciso ser um jogador no mínimo nota 9, para estar num time que beira a perfeição.

Muitos espalham, pelas redes sociais, um #chupamessi porque o gol mais bonito de 2011 não foi o dele e sim, e merecidamente, o de Neymar. Que rivalidadezinha boba… Chegará o tempo de Neymar, que ainda tem apenas 19 anos…

Mas enquanto muitos dizem, blasfemam, surtam e se revoltam, Messi faz. Faz gols, arrebenta defesas e nivela todos os seus adversários por baixo.

E como isso faz bem para o futebol!

Grupo e estreia do Corinthians na Libertadores 2012 estão definidos 0

Grupo e estreia do Corinthians na Libertadores 2012 estão definidos


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Está tudo pronto! Exceto se a Conmebol, que adora uma confusão, mudar as coisas de última hora.

O Sport Club Corinthians Paulista fará sua estreia na Copa Santander Libertadores 2012, no próximo dia 15 de fevereiro. E será longe de casa, contra o Deportivo Táchira da Venezuela em San Cristóbal.

O Timão jogará diante de sua torcida, no dia 7 de março, contra o Nacional do Paraguai no Pacaembu. E na semana seguinte faz o terceiro jogo no México contra o Cruz Azul.

No segundo turno da primeira fase, os jogos e os mandos são invertidos e o Corinthians encara o Cruz Azul em casa, o Nacional fora e encerra a participação na primeira fase, e se Deus quiser classificado, contra o Táchira no “Monumental” do Pacaembu.

Conhecendo os adversários

Club Deportivo Social y Cultural Cruz Azul

Segundo melhor colocado na fase classificatória do Torneio Apertura 2011 do rico futebol mexicano, o Cruz Azul é o terceiro time mais popular de seu país e um dos maiores campeões mexicanos, nas diversas competições nacionais ou interamericanas de que participa. Foi a primeira equipe do México a chegar na final da Copa Libertadores da América, em 2001, e teve a “ousadia” de vencer o Boca Júniors em plena La Bombonera e levar a decisão para os pênaltis quando a equipe portenha sagrou-se campeã. Está um pouco ausente da Libertadores. Sua última participação foi em 2003, quando foi eliminado pelo Santos (BRA) nas quartas-de-final. É um time perigoso e impõe aos seus adversários, a cansativa viagem até o México.

Club Nacional do Paraguay

O atual campeão do Torneio Apertura do Paraguai é um dos mais tradicionais clube do país, com 107 anos de existência, mas amargou uma fila de 63 anos sem títulos, entre 1946 e 2009. Sendo assim, há poucas participações do Nacional na Libertadores. A última, em 2010, foi um fiasco. Fez a pior campanha no seu grupo de primeira fase contra Once Caldas (COL), São Paulo (BRA) e Monterrey (MEX). As anteriores também foram no mesmo nível. Deve ser, ao lados dos venezuelano, um figurante no grupo.

Deportivo Táchira Fútbol Club

O atual campeão venezuelano já participou 14 vezes do torneio sulamericano. Sua melhor posição foi em 2004, quando caiu nas quartas-de-final. Reflete a (ainda) inocência do futebol do país e deve, mais uma vez, participar apenas da primeira fase da competição. Em 2011, o Táchira participou da Libertadores. Caiu no grupo 5, ao lado de Cerro Porteño (PAR), Colo-Colo (CHI) e Santos (BRA) e ficou na última posição do grupo, fazendo a segunda pior campanha no geral.

Mas, todo o cuidado é pouco e respeito é bom e todo mundo merece.

Anote:

15/02 – Deportivo Táchira (VEN) X CORINTHIANS – Estadio Polideportivo de Pueblo Nuevo, San Cristóbal, Venezuela
07/03 – CORINTHIANS X Nacional (PAR) – Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), São Paulo, Brasil
14/03 – Cruz Azul (MEX) X CORINTHIANS – Estádio Azul, Cidade do México, México
21/03 – CORINTHIANS X Cruz Azul (MEX) – Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), São Paulo, Brasil
11/04 – Nacional (PAR) X CORINTHIANS – Estádio Defensores del Chaco, Assunção, Paraguai
18/04 – CORINTHIANS X Deportivo Táchira (VEN) – Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), São Paulo, Brasil

[Mundial Fifa – Japão 2011] Barcelona 4 a 0, fora a aula. E foi pouco… 0

[Mundial Fifa – Japão 2011] Barcelona 4 a 0, fora a aula. E foi pouco…


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

SANTOS 0:4 BARCELONA
Jogo 8 – Final

Em partida disputada hoje em Yokohama no Japão deu a lógica. O Barcelona sagrou-se bicampeão mundial da Fifa ao derrotar o Santos por 4 a 0. No tão aguardado duelo entre Neymar e Messi, o argentino levou a melhor. Autor de dois gols, foi o melhor da partida e ainda levou a Bola de Ouro da competição. Além do título mundial, o Barcelona faturou o Prêmio Fifa Fair Play e Xavi ficou com a Bola de Prata. O santista Neymar ficou com a Bola de Bronze do torneio.

O time catalão não deixou o Santos, e principalmente Neymar, jogarem e mais uma vez deu um banho com a bola nos pés. O Barça ficou com 71% da posse de bola, apenas 1% a menos em relação ao jogo contra o Al Sadd, vencido pelo mesmo placar.

Messi começou o jogo testando a zaga da equipe de Vila Belmiro. Um chute bem defendido por Rafael que voltou a defender o rebote de Thiago. O Santos entrou com muito cautela e o Barcelona começou a impor seu jogo e sua posse de bola, por vezes, irritante.

Aos 17 minutos Messi abriu o placar. Xavi dominou a bola e de chaleira tocou para o argentino que, de cobertura, fez um golaço.

Sete minutos depois, Daniel Alves cruzou para o meio da área, Xavi cortou a marcação e bateu firme para fazer 2 a 0.

Com vantagem no marcador, o Barcelona tirou o pé do acelerador. Borges arriscou o único chute da equipe do Santos no primeiro tempo e Elano entrou no lugar de Danilo.

No finalzinho do primeiro tempo, Rafael tentou dois milagres, num rápido ataque do Barcelona, mas a defesa santista só ficou vendo Fábregas fazer 3 a 0.

Na segunda etapa o Santos preocupou-se mais em não sofrer gols. Neymar, apagado durante todo o jogo, teve uma boa chance bem defendida por Valdes. Borges também teve a oportunidade de diminuir, sem sucesso. Alheio a tudo, o Barcelona permanecia atacando. Fábregas e Daniel Alves mandaram bolas na trave e o goleiro Rafael impediu um desastre ainda maior.

No final da partida, o quarto gol da equipe catalã. Daniel Alves tocou para Messi na área, que driblou o goleiro e marcou. Simples, fácil, tranquilo, com a assinatura de um gênio, como também foi o jogo.

Fim de papo. O Barcelona aplica a maior goleada da história dos mundiais e sagra-se bicampeão mundial da Fifa.

Parabéns ao Santos, digno campeão da Libertadores e que fez um importante trabalho nas últimas duas temporadas, mas conforme já havia escrito, “O Barcelona não é um time de futebol. É outra coisa“. Caso alguém ainda não tivesse entendido o que eu argumentei, agora entendeu.

Uma rodada muito estranha 0

Uma rodada muito estranha


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

A décima segunda rodada do “endurão” brasileiro foi, de longe, a mais esquisita até aqui do campeonato. Teve de tudo: jogão de bola, gol sem querer, bola murcha; ou seja, o macaco que se cuide, porque a banana tá com fome!

Pois bem, vejamos!

Primeiro, que a rodada começou há 15 dias, quando o Internacional, para disputar a Copa Audi na Alemanha, antecipou o jogo contra o Corinthians. Líder, e até então invicto, o Timão venceu por 1 a 0, numa espécie de final antecipada do Brasileirão 2011. Um jogaço!

Na quarta-feira, deu de tudo.

O Avaí saiu na frente no Rio de Janeiro, mas o Botafogo virou, mesmo sem jogar um grande futebol. O time catarinense vai, cada vez mais, se enterrando.

O América Mineiro abriu o placar no Monumental Olímpico que viu o Grêmio empatar e andar de lado na competição.

O Atlético Mineiro venceu o Fluminense e conseguiu respirar um pouco longe da zona da degola.

O Atlético Goianiense, outro forte candidato ao rebaixamento, venceu o Cruzeiro embalado, na primeira derrota de Joel Santana.

O Palmeiras foi à Floripa vencer o Figueirense com um gol sem querer e entrou no G-4.

Flamengo e Santos merecem um nível melhor de detalhamento. Não é todo dia que são marcados nove gols num jogo, ainda mais no dito futebol moderno. O Santos faz 3 a 0 em 25 minutos, com direito a gol de placa de Neymar. O Flamengo empatou o jogo nos outros 20 minutos com direito a mais uma bobagem de Elano que “atrasou” um pênalti. Começou o segundo tempo e Neymar fez 4 a 3. Mas Ronaldo Gaúcho virou para 5 a 4. O resumo é mais ou menos assim: a defesa do Santos fez o que sempre faz. A do Flamengo também. Neymar jogou aquilo que ele negou na Copa América. Ganso não quer nada com nada e Ronaldinho resolveu se lembrar de que era Ronaldinho… Enfim, um duelo de dois gênios: um redivivo e outroem ascenção.

O resultado manteve o Mengo como único invicto na competição e deixou o Santos numa enganosa zona do rebaixamento com três jogos a menos.

São Paulo e Coritiba em campo. Os paulistas abriram 4 a 0. Trocaram a chuteira pelo salto. O Coxa chegou nos 4 a 3. E Lucas faz mais um belo gol para a sua coleção.

Mas a quinta-feira teria mais coisas estranhas.

São Januário, templo sagrado (abandonado) do futebol brasileiro. O Bahia faz 1 a 0 contra o Vasco aos quatro minutos de jogo. Os baianos precisavam da vitória para respirar longe da degola. Mas o Vasco empatou aos 49 do segundo tempo, quando até o goleiro Fernando Prass foi para a área adversária.

Para finalizar, o já condenadíssimo Atlético Paranaense abre o placar em Fortaleza. Mas o Ceará vira o jogo para deixar o Furacão na lanterna do campeonato.

Para quem gosta de números, a quantidade de gols de Santos 4 X 5 Flamengo foi igual a dos cinco jogos que os antecederam a saber: Corinthians 1 X 0 Internacional; Botafogo 2 X 1 Avaí; Grêmio 1 X 1 América-MG; Atlético-MG 1 X 0 Fluminense; Atlético-GO 2 X 0 Cruzeiro.

Haja emoção, amigos. E ainda faltam longas vinte e seis rodadas!

12 visitantes online agora
1 visitantes, 11 bots, 0 membros
Máx. de visitantes hoje: 13 às 08:42 pm BRT
Este mês: 23 às 08-04-2017 04:34 am BRT
Este ano: 31 às 03-30-2017 10:25 am BRT
No total: 111 às 03-18-2011 02:35 am BRT