Tagged: Grêmio

Douglas e Corinthians: o bom filho a casa torna 0

Douglas e Corinthians: o bom filho a casa torna


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

O meia Douglas Santos, o velho e bom “maestro” Douglas, está bem próximo do retorno ao Sport Club Corinthians Paulista. O anúncio, feito na noite desta quinta (2) de forma oficial, finaliza a negociação e realiza um velho desejo de Tite. O técnico corinthiano queria ter o meia no início do Brasileirão do ano passado, mas o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense não quis conversar sobre o assunto.

Agora, segundo Nota Oficial no site do Corinthians, o atleta está apalavrado com o clube e virá para São Paulo na próxima semana para realizar os exames médicos de praxe. O gerente de futebol Edu Gaspar, no entanto, deu o retorno como certo em programa veiculado pela TV Corinthians.


O retorno do “Maestro”

Douglas, prestes a completar 30 anos, tem passagens pelo Criciúma/SC (2002/5 e 2006), Caykur Rizespor/TUR (2005), São Caetano/SP (2006/8), Corinthians (2008/9), Al Wasl/EAU (2009) e Grêmio/RS (2010/1). Foi no Corinthians, porém, que o atleta ganhou projeção nacional e seus principais títulos (Brasileirão – B/2008, Copa do Brasil – 2009 e Paulistão – 2009).

Dono da camisa 10 e de uma raça e técnica invejáveis, Douglas logo caiu nas graças da Fiel Torcida. Foi um dos principais atletas do clube no retorno à Série A e também brilhou na campanha invicta do Paulistão e na Copa do Brasil.

Particularmente, como já pude escrever aqui, acho-o um jogador de ótimo nível, superior ao Montillo (Cruzeiro) e que tem empatia com a torcida. Cai como uma luva para a disputa da Libertadores.

Então, Fiel, se tudo der certo (e dará), vai sonhando com o time: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, Leandro Castan e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Douglas (olha o nível do meio de campo…) e Liédson e Émerson no ataque…

Quem viver, verá…

E seja bem-vindo, Douglas! O bom filho a casa torna!

Já curtiu o Blog Canelada no Facebook? Vem cá!

Já leu outros textos do Jornalista Sylvio Micelli? Vem cá!

Corinthians: boa estreia no Brasileirão contra o Grêmio 0

Corinthians: boa estreia no Brasileirão contra o Grêmio


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Após três partidas “sem entrar em campo”, o Sport Club Corinthians Paulista – o mais amado e mais odiado clube do planeta – estreou com vitória no Campeonato Brasileiro. Fora de casa, no Monumental Olímpico em Porto Alegre e de virada, o Corinthians bateu o Grêmio de Foot-Ball Porto Alegrense por 2 a 1. Para um campeonato de pontos corridos e, considerando-se a dificuldade do adversário, trata-se de um excelente resultado, mas que não se tenha falsas ilusões.


O jogo

As alterações que o técnico Tite fez, foram muito mais em consequência da perda de jogadores. Bruno César, de saída para o Benfica de Portugal e Dentinho, que acertou com o ucraniano Shakhtar Donetsk, nem foram relacionados. Jorge Henrique em má fase e que poderá ter o caminho do Beira Rio (Internacional) em Porto Alegre, ficou no banco de reservas.

Com Morais e Willian, o Corinthians foi um time de mais ofensivo e o centroavante Liédson não ficou tão isolado como nas partidas finais do Campeonato Paulista.

Jogando em casa, o Grêmio começou pressionando a saída de bola corinthiana, mas sem trazer perigo à defesa alvinegra. Os problemas internos do tricolor gaúcho refletiam-se no time. Seja como for o primeiro tempo foi bem movimentado. Douglas quase fez um gol olímpico em cobrança de escanteio desviada por Julio Cesar. Júnior Viçosa, jogador alagoano que vem se destacando no time sulista, tentou um voleio. Pelo Corinthians, as melhores chances vieram dos pés de Morais, depois de passe de Fábio Santos e Willian numa jogada com Liédson.

No segundo tempo saíram os gols. Aos 13 minutos, pênalti para o Grêmio. O atacante Leandro, em velocidade, foi derrubado por Leandro Castán. Houve reclamações do Corinthians, mas foi falta, meio que sem querer, mas pênalti. O ex-corinthiano Douglas, com a categoria habitual, deslocou Julio Cesar e abriu o placar.

O Corinthians resolveu atacar. O peruano Luís Ramirez, numa bola rebatida da defesa, quase abriu o placar num belo chute que Neuton afastou de cabeça em cima da linha. No lance seguinte, pênalti para o Corinthians. Liédson dominou a bola na área e, ao driblar Lúcio, foi atingido. Os gremistas reclamaram, mas também foi pênalti. Chicão empatou na cobrança.

Os gols fizeram com que os times buscassem o ataque e o Corinthians foi fatal. Arremesso lateral de Alessandro foi alçado na área, Danilo escorou e Liédson matou de voleio. Um golaço!

Com o resultado adverso, o Grêmio foi ao ataque, mas de forma desorganizada. O Corinthians controlou os nervos, o jogo e venceu.

O Timão volta a campo no domingo, às 16 horas. Pela segunda rodada do “endurão” brasileiro, o Corinthians enfrenta o Coritiba na bela Arena da Fonte Luminosa, na cidade de Araraquara no interior paulista. O Coritiba, classificado para a final da Copa do Brasil, deve jogar com o time reserva e é uma boa oportunidade do Timão vencer mais uma.


Curiosidades

– Douglas, ex-jogador do Corinthians, que não comemorou no ano passado o golaço contra o Timão no Pacaembu, comemorou o pênalti marcado mostrando o distintivo do clube gaúcho.

– Pela primeira vez na história dos campeonatos brasileiros, considerando-se 1971, o Grêmio jamais havia sido derrotado numa estreia em casa, pelo Campeonato Brasileiro.

- Foi a primeira vez que o Timão venceu o Grêmio em estreias no Brasileiro. Em duas oportunidades o Corinthians foi derrotado: em 1990 (3 a 0) e em 2006 (2 a 0).

– Corinthians e Grêmio tem protagonizado quebras de recorde de lado a lado. Ano passado, ao também vencer no Olímpico, o Corinthians derrubou dois anos de invencibilidade do tricolor no Olímpico. Ao vencer o Corinthians no Pacaembu, o Grêmio proporcionou a primeira derrota do Timão em casa no Brasileirão de 2010.

– O Monumental Olímpico é céu e inferno para o Corinthians. Em 21 de Junho de 1995, o Timão ganhou sua primeira Copa do Brasil ao derrotar o rival por 1 a 0, com gol de Marcelinho Carioca. Em 02 de dezembro de 2007, no mesmo estádio, o empate em um gol, decretou o rebaixamento do Corinthians para a série B do Campeonato Brasileiro de 2008.


Notas do Micelli

1 Julio Cesar - Não comprometeu. Foi pouco exigido. Não teve como defender o pênalti e saiu bem no escanteio de Douglas que quase resultou no gol olímpico. Nota 6

2 Alessandro - O dono da direita. Não é um lateral de ponta, mas é aguerrido. A cara do time. Não comprometeu. Foi ágil ao bater o lateral no segundo gol do time. Nota 6
3 Chicão - O xerife. Bela cobrança de pênalti contra um dos maiores goleiros do Brasil. Soube segurar o ataque do Grêmio. Nota 7
4 Leandro Castan - Falhas de marcação e um pênalti tolo cometido. Inseguro. Nota 5
6 Fábio Santos - Fez um lance bizarro no ataque, mas não comprometeu na sua posição. Nota 6

5 Ralf - Auxiliou Chicão a segurar o ataque gremista. Nota 6
8 Paulinho - Um belo chute defendido por Victor. Chutes a distância sempre importantes e bom trabalho de meio de campo. Nota 7
7 Luis Ramirez - Ainda um jogador complicado. É valente mas é nervoso. Importante para a tática do time. Nota 6
S15 Moradei - Pouco tempo. Sem nota.

10 Morais -
Fez um bom trabalho no primeiro tempo e manteve Liédson e Willian na frente. Foi o elo do meio com o ataque. Nota 7
S16 Danilo - Escorou o lance para o gol de Liédson. Continua lento, mas imprescindível ao esquema tático. Nota 7
11 Willian -
O melhor do time. O Timão fica mais ofensivo com ele. É voluntarioso e com as saídas de outros jogadores vira titular fácil. Nota 8
17 Jorge Henrique - Pouco tempo. Sem nota. Mas deu tempo de tomar um cartão amarelo…
9 Liedson - O atacante inato. Sofreu o pênalti e fez um golaço. Mantém a escrita de que quando faz gol, o time vence. Nota 8


GRÊMIO DE FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE 1 X 2 SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA

Local: Monumental Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 22 de maio de 2011 (domingo)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Assistentes: Erich Bandeira (PE) e Carlos Berkenbrock (SC)
Público e renda: não divulgados

Gols: Douglas – pen [G] (58′); Chicão – pen (65′) e Liédson (72′)
Cartões amarelos: Luis Ramírez, Paulinho, Chicão e
Jorge Henrique [C]

GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Saimon, Rodolfo (Escudero) e Neuton; Fábio Rochemback, Adilson (Willian Magrão), Lúcio e Douglas; Leandro e Júnior Viçosa (Lins)
Técnico: Renato Gaúcho

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Luís Ramirez (Moradei) e Morais (Danilo); Willian (Jorge Henrique) e Liedson
Técnico: Tite

Ficha Técnica by Gazeta Esportiva.Net

___________________________________________________________________________________

Este e outros textos você encontra no Blog do Sylvio Micelli.
Vote no Micelli para o prêmio Top Blog 2011! Obrigado!

Corinthians estreia no Brasileiro de 2011 contra um adversário de respeito 0

Corinthians estreia no Brasileiro de 2011 contra um adversário de respeito


por Sylvio Micelli

Texto originalmente escrito para o Blog Canelada

Neste domingo, às 16 horas, o Sport Club Corinthians Paulista – o mais amado e mais odiado clube do planeta – estreia pelo Campeonato Brasileiro de 2011. O adversário é um fortíssimo e velho conhecido: o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. O jogo acontece no Monumental Olímpico na bela capital gaúcha. Ironicamente, será o confronto de duas equipes vicecampeãs nos seus respectivos campeonatos estaduais. Ou seja: há feridas, ainda abertas, a serem lambidas por todos os lados.


Números

Historicamente, Corinthians e Grêmio sempre fizeram jogos muito acirrados, desde o primeiro confronto entre ambos disputado em 11 de dezembro de 1947. O Timão venceu o Grêmio pela contagem mínima, no estádio Baixada dos Moinhos de Vento, que ficava em Porto Alegre. O Fortim da Baixada foi o primeiro estádio gremista.

De lá para cá, o tricolor gaúcho e o alvinegro paulistano encontraram-se 71 vezes. Há ligeira vantagem gremista: são 29 vitórias, contra 25 corinthianas e 17 empates. O ataque do Grêmio marcou mais (97 X 79). Analisando-se só o campeonato brasileiro, a vantagem gremista é maior: são 21 vitórias contra 14 e dez empates em 45 jogos.

O Olímpico também não é um bom local para os corinthianos que lá venceram apenas nove vezes, contra 19 dos anfitriões, além de sete empates. A quantidade de gols marcados pelo Grêmio em seus domínios é o dobro (55 X 27).

Com o vai-e-vém do mercado e algumas alterações táticas, o Timão deve entrar em campo, logo mais, com: Julio Cesar; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Ramirez e Danilo (Morais); Willian e Liédson.


Decisões

Grêmio e Corinthians nunca decidiram campeonatos brasileiros mas disputaram duas copas do Brasil. Em 1995, Marcelinho Carioca silenciou o Olímpico. O Timão venceu a final por 1 a 0 e já havia vencido em São Paulo por 2 a 1 (Viola e Marcelinho Carioca, para o Corinthians e Goiano para o Grêmio).

Seis anos depois, o Grêmio silenciou o Morumbi. Mesmo vindo de Porto Alegre com um importante empate em 2 a 2 (Marcelinho Carioca e Muller para o Timão e dois gols do ex-corinthiano Luís Mário para o Grêmio), o Corinthians não conseguiu segurar uma apresentação irretocável de Marcelinho Paraíba, Zinho e companhia e o Grêmio foi campeão daquele ano (2001) ao vencer por 3 a 1 (Marinho, Zinho e Marcelinho Paraíba marcaram para os gaúchos e Éwerton diminuiu para o Corinthians). Este título foi o primeiro relevante do técnico Tite, que treinava os gaúchos à época.


Bruxaria

Para quem gosta de superstição, lá vai uma. Em 1990, o Corinthians estreou contra o Grêmio e foi goleado por 3 a 0. Depois deste início desanimador, o Timão conquistaria seu primeiro título nacional. Em 2006, as equipes também se enfrentaram na rodada inicial e o tricolor gaúcho também venceu, por 2 a 0. Era o jogo do campeão da série A de 2005 (Corinthians) contra o campeão da série B (Grêmio).

Que essa estreia seja o prenúncio de grandes vitórias!


Brasileirão 2010

No Campeonato Brasileiro do ano passado há uma vitória para cada lado. No primeiro turno, no Sul, o Timão venceu por 2 a 1. Ralf, uma raridade, marcou de cabeça depois de escanteio batido por Dentinho, logo no começo do jogo. No segundo tempo, Souza, outra raridade, fez um dos gols mais fáceis da história do futebol. Depois de cruzamento de Dentinho, o lateral esquerdo gremista Bruno Collaço protagonizou um lance bizarro e a bola sobrou para o centroavante “azarado”, sozinho, marcar. O atacante Maylson, que havia acabado de entrar, recebeu passe de Jonas, Willian falhou e num chute preciso marcou para o Grêmio fechando o placar.

Na volta, no segundo turno, o ex-corinthiano Douglas marcou um golaço e se negou a comemorar contra o ex-clube, demonstrando o respeito habitual dos ex-jogadores com o Corinthians. Ele dominou a bola na intermediária, passou pela zaga corinthiana e na meia-lua da área bateu no ângulo. E foi aplaudido.


De olho no apito

O pernambucano Nelson Nogueira Dias será o árbitro do jogo. Ele será auxiliado pelo também pernambucano Erich Bandeira e pelo catarinense Carlos Berkenbrock.

Ronaldo Gaúcho e a ética aplicada à bola 1

Ronaldo Gaúcho e a ética aplicada à bola

por Sylvio Micelli

Acabou a novela! Afinal… como ía começar o “importantíssimo” BBB, ninguém mais ía lembrar do assunto. Ronaldo de Assis Moreira, vulgo Ronaldinho Gaúcho é atleta do Clube de Regatas Flamengo de tanta gente e de tanta glória.

O fim da história, a mim traz alívio. Não aguentava mais o mesmo assunto nas últimas três semanas, até porque sem bola rolando, o que restava à mídia esportiva era falar do jogador. Assuntos como a unificação dos títulos feita pela CBF e o retorno do jogador Adriano foram rapidamente escanteados (se me permitem o trocadilho).

Seu retorno ao futebol brasileiro após 10 anos, tendo passado por três times importantes da Europa (Paris Saint-Germain, Barcelona e Milan), foi cercado de muita discussão. Três times ou, que seja, quatro times disputaram o passe do atacante: Grêmio, Palmeiras, Flamengo e o Corinthians que entrou no final sabe-se-lá-porquê…

Acredito que existam quatro tipos de jogadores: os excepcionais sem marketing (principalmente os mais antigos), os excepcionais com marketing, os comuns e os jogadores onde o marketing prepondera. Gaúcho se encaixa nesta última categoria. E vou na contramão (como sempre) da maioria. Nunca achei Ronaldo Gaúcho um jogador excepcional. É, obviamente, um jogador que os “entendidos” dizem ser acima da média, mas, mesmo assim, não valia todo esse leilão que vimos.

Outra questão importante é a discussão sobre ética na escolha feita pelo jogador. Os três clubes acreditavam, firmemente, que teriam o futebol do atleta, empresariado por seu irmão, que é um ex-jogador. Parece-me que os três times receberam garantias firmes de que a negociação estava próxima do acerto.

Bom… se analisarmos do ponto de vista da ética e da moral, coisas em desuso, houve um sério desrespeito ao Palmeiras e mais ainda ao Grêmio, clube que revelou o atleta para o mundo. O ponto mais importante não é a escolha feita por Gáucho, mas toda a romaria que cercou a definição. Parecia (quase) a disputa entre PT e PMDB pelos cargos de segundo e terceiro escalões do Governo Federal.

Mas… é apenas futebol. E há muito tempo ele virou apenas business. Big business.

Portanto amigos, ética, moral, amor à camisa etc é coisa para poucos como as lendas Yashin, Uwe Seeler, Pelé, Roberto Dinamite, Zico e Nilton Santos ou os candidatos à lenda que fizeram história por um único clube como Puyol, Carragher ou os goleiros Rogério Ceni e Marcos.

Acho que Ronaldo Gaúcho falhará no Flamengo, assim como falhou o ataque dos sonhos formado por Romário, Edmundo e Sávio, 16 anos atrás.

A conferir.

7 visitantes online agora
0 visitantes, 7 bots, 0 membros
Máx. de visitantes hoje: 10 às 02:03 am BRT
Este mês: 28 às 06-04-2017 07:36 pm BRT
Este ano: 31 às 03-30-2017 10:25 am BRT
No total: 111 às 03-18-2011 02:35 am BRT